Donald Trump, contra tudo e contra todos, vence as eleições no EUA | Politicos Do Brazil
Donald Trump, contra tudo e contra todos, vence as eleições no EUA
Por admin
10/11/2016

As eleições americanas sempre chamaram a atenção do mundo, desde que o EUA se tornou uma nação independente.

E isso, querendo ou não, é muito claro. Afinal, se trata do maior país do mundo, da nação que concentra fortunas e fortunas, além de toda tecnologia, etc, etc, etc.

Ser presidente do EUA é ser o homem ou mulher mais poderoso (a) do mundo! Esse título que todos querem, mas somente poucos conseguem.

As eleições americanas tem suas peculiaridades, pontos que as diferem da maioria dos processos eleitorais ao redor do mundo.

Uma dessas peculiaridades é que, pasmem, as eleições ainda são na cédula de papel. É isso mesmo! A maior nação do mundo, onde a tecnologia é de ponta, tem suas eleições em cédulas de papel. É no minimo curioso. E mais ainda, quando você sabe que a contagem termina em 1 dia útil, salvo se por acaso acontecer algum imprevisto, mas a meta é sempre terminar com apenas 1 dia a apuração dos votos.

Só pra fazer uma comparação, no Brasil onde temos urnas eletrônicas, a apuração é terminada no mesmo dia. Só que no Brasil temos menos eleitores do que no EUA. Incrível, né?

Outra peculiaridade importante no EUA é que os eleitores não são obrigados a votar. O voto é facultativo desde sempre. Por isso que o país é usado como exemplo quando citamos democracias ao redor do mundo. Essa sim é uma democracia plena. Quando você é obrigado a votar, como no Brasil, é um erro grotesco dizer que temos uma democracia. A obrigatoriedade, em qualquer situação, se transforma em tirania, em algo forçado, e democracia não combina com isso.

E fora essas duas particularidades das eleições americanas, o que mais chama atenção mesmo é o fato de só haver 2 partidos disputando as eleições.

Lá a eleição é decidida entre o partido Republicano e o partido Democrata.

E não pensem que os partidos indicam os candidatos a presidência e pronto. Nada disso. Aqueles que se lançam candidatos em ambos os partidos passam por prévias, onde os delegados dos partidos é que escolhem os candidatos que irão disputar a presidência. Uma forma totalmente justa. E mais ainda, não é o candidato quem escolhe seu vice, novamente são os delegados que o fazem. Claro que tanto candidato a presidente como o vice são do mesmo partido. Não é como no Brasil, onde o candidato a presidente é do partido X e o vice do partido Y, gerando até alguns constrangimentos futuros, como foi o caso da ex presidente Dilma e o atual presidente Temer.

O maior nome dos presidentes eleitos pelo partido Republicano é Abraham Lincoln. O partido elegeu ao longo da história 24 presidentes, enquanto os Democratas elegeram 17. Ou seja, os americanos são, em sua maioria, politica e ideologicamente falando, de direita.

Um fato curioso no EUA é que os Republicanos representam a cor vermelha, que historicamente em alguns países (inclusive o Brasil) remetem ao socialismo/comunismo, mas na verdade o vermelho Republicano é de direita, enquanto o Democratas são representados pela cor azul, mas que na verdade ele sim é o representante da “esquerda” americana. Isso dá nó na cabeça de muita gente, especialmente no Brasil. Inclusive esse que vos escreve, desfazendo o nó somente com pesquisa.

No Brasil, todos os partidos de esquerda eram favoráveis à vitória de Hillary, demonstrando claramente que a candidata Democrata era sim a representante “esquerdista” nas eleições americanas. Felizmente e para o desespero dos partidos e alguns jornais brasileiros, a mulher de Bill Clinton saiu derrotada.

luladilmahillary

A vitória de Donald Trump mostra que o mundo politico está mudando, dando um giro de 360º e deixando um ar de esperança de que as coisas podem mudar. E devem mudar.

Em se tratando de mascotes, os Republicanos são representados pelo elefante e os Democratas pelos burros. Bem sugestivo, não???

Já começamos a limpeza no mundo com a vitória de Macri (outro empresário) na Argentina, com a retirada de Dilma no Brasil, mas ainda falta muita coisa. O mundo precisa respirar e algumas ervas daninhas ainda precisam sair. Tais como Morales na Bolívia e Maduro na Venezuela. É questão de tempo.

Trump, com seu jeito fanfarrão de ser, é um empresário mega bem sucedido no EUA. Ele conhece da arte de negociar, de fazer gestão, de se comunicar e isso é fundamental para qualquer lider politico, ainda mais da maior nação do mundo. Obama era carismático sim, mas não conhecia muito de administrar o país, tanto que em sua gestão o escândalo Obama Care foi criado. E, sendo Democrata, sua tendencia era mais esquerdista e populista, assim como seus “amigos” latinos. Basta dizer que ele “cortou” o embargo com Cuba. Oras, quem conhece um pouco da história sabe que o embargo foi o que de menos pior EUA fez com Cuba, em detrimento do que Cuba quase fez com o EUA com a ajuda da Russia. Ai vem o Obama e renega tudo, jogando no lixo da história o fato de quase o país ter ido pelos ares por causa do líder tirano Fidel Castro. Isso foi um erro que não se pode perdoar. E os americanos não perdoaram.

Dizem que Trump é racista, não respeita as mulheres e tudo que se pode dizer de alguém que usa as palavras com força quando faz um discurso. Numa comparação com o Brasil, é como se Trump fosse o Jair Bolsonaro. A mesma essência. O mesmo jeito forte de falar. A mesma sinceridade com as palavras. A diferença é a conta bancária…

Os maiores jornais ao redor do mundo davam como favas contadas a vitória de Hillary. Pergunta: baseado em que? Nas prévias? Oras, as prévias não podem ser levadas como pesquisa de boca de urna. Isso é feito entre os delegados e não necessariamente é uma verdade absoluta. As urnas mostraram a realidade.

É preciso dizer que Hillary teve diretamente mais votos que Donald Trump, mas como foi dito antes, quem decide os votos são os delegados eleitos. E eles decidiram pela eleição de Trump. Assim que é feito e assim que se decide.

vitoria_hilllary

Donald Trump é polemico, é fanfarrão, mas sabe como poucos se comunicar e fazer negócios. Agora é esperar e torcer para que ele faça um ótimo governo. Sim, porque um ótimo governo no EUA reflete no mundo inteiro, assim como o contrário também acontece.

Obs: antes de terminar, um fato estranho que ocorre no Brasil… aqui as pessoas não conseguem nem eleger vereadores que prestam, mas se acham experts em questionar as eleições americanas. O povo brasileiro tem que ser estudado pela NASA.

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2017