Venezuelano que fugiu de Chavez e Maduro dá entrevista ao blog | Politicos Do Brazil
Venezuelano que fugiu de Chavez e Maduro dá entrevista ao blog
Por admin
02/02/2017

A esquerda brasileira, ou melhor a extrema esquerda, apregoa aos 4 cantos desse nosso rincão sem fim que a Venezuela é um exemplo de país que deu certo no socialismo.

Entre os representantes dessa extrema esquerda estão o PSOL e PT, por exemplo. Não por acaso dizemos que o PSOL é um dos tentáculos malignos da extrema esquerda e caminha a passos largos para ter o lugar do PT.

Claro que tudo isso não passa de uma falácia sem tamanho. A Venezuela, desde a ditadura imposta por Chavez e seguida por Maduro, sempre foi um exemplo clássico de regime totalitário e assassino. Os venezuelanos sofrem com o descaso pleno do governo e levam uma vida miserável em todos os sentidos. Aqui fica uma constatação: Chavez e depois Maduro são admiradores ferozes de Fidel Castro, entende-se ai a forma truculenta de governar.

Durante o governo petista, que se arrastou por longiquos 13 anos, os negócios floresceram como nunca na Venezuela e isso levou o povo a acreditar que o país seria um lugar melhor pra viver, mais ou menos assim como muitos incautos se deixaram enganar pela dupla Lula/Dilma, os venezuelanos foram levados por essa crença e também cairam feio do cavalo.

Assim como fizemos um artigo mostrando a verdade sobre Cuba, com um cidadão que morou lá e tem toda propriedade pra falar sobre o assunto, hoje trazemos uma entrevista esclarecedora de um cidadão venezuelano que viveu esses momentos catastróficos que assolaram e ainda assolam esse país.

Por motivos de segurança, não estamos dando seu nome verdadeiro e aqui ele será tratado como senhor José Perez. Importante frisar que seu relato não carrega ódio algum e sim apenas e tão somente fatos verdadeiros de quem viveu 50, eu disse 50, anos em terras venezuelanas, sofrendo todas as agruras do regime cruel de Chavez e Nicolás Maduro.

Evidente que as respostas foram dadas em espanhol, mas conseguimos traduzir senão fielmente (por não sabermos espanhol, malemá sabemos o português), tentamos chegar o mais próximo possível da tradução. E o próprio senhor José Perez autorizou, então possivelmente está bem traduzido. Obrigado Google Tradutor!

Segue abaixo a entrevista:

Políticos do Brazil: Senhor Perez, por quanto tempo morou na Venezuela?

José Perez: 50 anos

PDB: Como era o governo venezuelano com Hugo Chavez e depois Nicolás Maduro?

JP: Quando Chavez começou seu governo, ele começou a abordar constantemente as pessoas por meio de programas de televisão, que duravam horas, tentando convencer as pessoas de que o capitalismo era um sistema que nos escravizou à iniciativa privada e tinha que acabar. Logo ele mudou as leis que protegem e garantem a propriedade privada e começou a desapropriar indústrias itens básicos, como produtos de higiene pessoal, processamento de aves e carne bovina/suína. O que muito rapidamente causou problema e ele começou a ver que havia nos fornecimentos e produtos de supermercado motivos do porque o Estado não estava produzindo a mesma quantidade de alimentos como uma empresa privada, e causou a terrível crise que herdou Maduro. Como resultado dessas políticas desfavoráveis, Maduro não fez nada e tão pouco se importou em resolver o problema.

PDB: A vida na Venezuela era boa, regular ou péssima, antes de Chavez e Maduro?

JP: Boa

PDB: Com Chavez e depois Maduro, vocês tinham acesso aos bens de consumo? Alimentação? Segurança? Educação? Saneamento Básico?

JP: Na Venezuela não existem alimentos básicos para uma boa nutrição. Para obter um produto apenas para comer, entra-se numa fila de espera de até 12 horas e você não tem garantia de que poderá comprar. Não há segurança em lugar algum, seja de manhã, tarde ou à noite. Se você não for roubado ou sequestrado pelo ladrão comum, a própria polícia irá fazê-lo. Educação na Venezuela é livre e gratuita, mas com a crise provocada pelo governo, existem crianças e jovens que não podem ir para escola diariamente, pois seus pais não tem comida para dar muitas vezes as crianças DESMAIAM nas salas de aula por fome. Não tem pasta dental, não tem sabão para lavar roupa ou tomar banho e muito menos papel higiênico. Não existem absorventes femininos e muitas outras coisas. Não tem desodorantes…

PDB: Os programas sociais dos governos Chavez/Maduro beneficiavam realmente os habitantes de baixa renda ou na verdade, era apenas um meio de enganar a população?

JP: No primeiro e segundo ano se beneficiaram de programas sociais muitas pessoas pobres. Em seguida eles foram reduzindo a ajuda, mas não os orçamentos previstos. Explico: a ajuda não alcançava mais o mesmo número de pessoas, mas o orçamento continuava o mesmo valor. Se pressupõe que foi roubado por Maduro, pois não se viu qualquer ajuda, embora os mesmos valores de orçamento tenham assinados.

PDB: O senhor considera o socialismo, modo de governo venezuelano, um sistema benéfico para a população?

JP: NÃO! SÓ TROUXE MISÉRIA, FOME, PROSTITUIÇÃO, CORRUPÇÃO, AUMENTO DA CRIMINALIDADE, NÃO HÁ COMIDA E NEM REMÉDIOS! NÃO RECOMENDO SOCIALISMO/COMUNISMO PARA NENHUM PAÍS DO MUNDO!

PDB: Sabe dizer se, por intermédio da “amizade” com Lula e Dilma, os governos Chavez/Maduro foi “agraciado” com valores ou apenas com obras que beneficiaram as famílias/amigos de Chavez/Maduro?

JP: Esses governantes de ambos os países (Lula/Chavez/Dilma/Maduro) fizeram muito comércio entre os dois países, incluindo alimentos enviados para Venezuela sem controle, só se preocuparam com a cobrança de taxas para compra de alimentos. Muitos alimentos nem deixaram os portos venezuelanos e milhões de toneladas de alimentos APODRECERAM ou perderam a validade nos contêiner. O governo só se importava em ganhar dinheiro, nunca se preocupou com a fome do povo.

PDB: Aqui no Brasil foi veiculado que faltam alimentos, inclusive imagens de pessoas pegando comida nos caminhões de lixo, e também itens básicos, como papel higiênico, ou isso é fantasia da mídia brasileira e na verdade, esses itens tem em abundância na Venezuela?

JP: É verdade. Na Venezuela não tem comida para uma pessoa comer três vezes ao dia, porque há pessoas que não comem durante o dia inteiro e itens de higiene pessoal são muito RAROS. A inflação está totalmente fora de controle. Hoje o produto tem um preço e amanhã o preço aumenta 300% e continua a subir. Desde 2016 está sendo visto em todo o país as pessoas que procuram restos de alimentos no lixo pra comer, tanto as crianças como os jovens, adultos e idosos.

comidalixovenezuela

PDB: Por que o senhor de refugiou no Brasil? Está fugindo das condições miseráveis que assolam o seu país de origem? Ou algum tipo de ameaça sofrida?

JP: Na minha terra natal, o governo não garante a vida dos cidadãos. Não tem garantia de alimentação para o povo. Saúde não é garantida, porque não há medicamentos. Crianças, jovens, adultos e idosos morrem por falta de medicamentos. O governo não garante segurança e se um criminoso faz um sequestro relâmpago, o mesmo fazem as forças de segurança. Não há liberdade de expressão ou de imprensa. O governo financia e dá armamentos para bandidos e ladrões para matar que se opõe a eles e seus grupos. Por essas e outras razões, procurei refúgio no Brasil.

PDB: Como está sua vida hoje no Brasil? Consegue viver dignamente? Qual estado escolheu para viver? E sua família, está no Brasil ou continua na Venezuela?

JP: Aqui no Brasil foi uma mudança indescritivel. Eu não tenho medo do governo me perseguir ou me matar por eu discordar de sua política. Eu tenho paz e tranquilidade, algo que não tem preço. Atualmente moro em Manaus. Estou sim preocupado com minha família que ainda estão na Venezuela passando fome e necessidade, mas não posso ajudar para que saíam do país, porque não tenho recursos para trazê-los, pois ainda não tenho um emprego para garantir minha sobrevivência. Espero em breve começar a trabalhar para ajudar minha família.

PDB: O senhor consegue dizer, de maneira clara, como vivem os venezuelanos?

JP: Os venezuelanos não tem mais vida. Quem pode viver com tranquilidade senão tem como alimentar sua família? O Estado viola todos seus direitos humanos e constitucionais. O venezuelano sai de casa e não sabe se volta vivo com tamanha insegurança, com medo de assassinatos e de ficar nas mãos de bandidos. Se um venezuelano fica doente, como vai se medicar senão tem remédios? Crianças morrem em hospitais por falta de medicamentos, assim como os adultos, jovens e idosos. A desnutrição é generalizada. Se um venezuelano tem dinheiro pra comprar comida, de que adianta senão tem alimentos na Venezuela. Lá não existe pobreza e sim POBREZA EXTREMA!

PDB: Para terminar, gostaria de deixar algum recado para o seu povo na Venezuela e também para alguns brasileiros que, por ignorância, apoiam as bestialidades de Maduro, inclusive a forma assassina como ele trata seus opositores?

JP: Peço aos meus irmãos venezuelanos para se unirem, para juntos conseguirem por fim a esse tempo de fome e miséria que é imposto pelo governo que tanto nos humilha. Aos que acreditam no socialismo, percebam que não funciona e lutem sempre contra esse sistema de governo para recuperar nossa Venezuela que tantas alegrias nos deu. Para os brasileiros (as), peço-lhes para ver o nosso exemplo ladrões e assassinos políticos enganaram nosso povo, oferecendo castelos, riquezas e o que eles queriam é tomar o poder para enriquecer-se e ter pessoas ajoelhadas diantes deles porque eles tomaram seus medicamentos, alimentos, sua paz e tranquilidade, e também roubaram seu futuro. Irmãos brasileiros, quando o povo venezuelano quis reclamar de Chavez/Maduro, seus direitos constitucionais, a resposta deles foi a repressão, assassinar e ameaçar as pessoas. Muitos venezuelanos foram as midias sociais para dizer como é assassino e opressor esse governo. E aqueles que foram nas marchas e protestos, muitos hoje são prisioneiros e segundo o governo venezuelano, são tratados como terroristas. NÃO PERMITAM SE TRANSFORMAREM EM OUTRA VENEZUELA. Os venezuelanos que estão saindo da Venezuela, não o fazem por turismo, é por necessidade de salvar nossas vidas e de nossas famílias.

Depois de ler esse relato verdadeiro e emocionante sobre a situação na Venezuela, agora cada um que tenha sua opinião. Acreditar em quem viveu a situação na pele, ou acreditar em quem não vai no país nem pra passar férias, somente se desloca até lá para ficar nos melhores hotéis e comendo/bebendo do bom e do melhor?

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2019