Representante dos direitos dos manos é estuprada e morta por ex presidiário! | Politicos Do Brazil
Representante dos direitos dos manos é estuprada e morta por ex presidiário!
Por admin
28/07/2017

Quem acompanha nosso blog sabe que somos ferrenhos críticos aos direitos humanos no Brasil. A explicação é muito simples e até fizemos um artigo sobre isso. Boa parte da população brasileira sabe que em nossas terras tupiniquins o que era pra ser um avanço em relação a preservar os direitos das pessoas, seja ela de qual grupo possa pertencer, acabou virando uma quase “seita”, motivada por acontecimentos espúrios, onde apenas os “manos” acabam tendo vez.

Essa é uma verdade incontestável. A mídia escrita e televisiva mostra, todo santo dia, casos escabrosos onde pessoas indefesas acabam sendo vitimas de marginais armados até os dentes, muitas vezes perdendo suas vidas e quando esses miliantes são presos, já na porta da delegacia tem aquele ou aquela representante dos direitos dos manos (deveria ser direitos humanos) esperando o marginal para lhe dar toda assistência possível, enquanto a família da vitima fica a mercê das leis, sem nenhuma assistência governamental.

Para ter convicção de que os direitos humanos pouco se lixam para a população indefesa, basta fazerem um exercício mental… por que existe auxilio reclusão extensivo a família dos bandidos e para a família das vitimas não existe absolutamente nenhum aparato por parte do governo?

Mas sabem como é… sempre terão aqueles (as) que tem uma vontade quase demente de imaginar que os marginais precisam apenas de ajuda psicológica e são  vitimas da sociedade, deixando claro que eles não tem culpa nenhuma da situação em que se encontram. A culpa, segundo esses representantes, é exclusivamente da sociedade em geral, que não abre espaço para esses excluídos, fazendo assim com que eles pratiquem crimes, muitos dos quais onde tiram a vida de pessoas inocentes.

Claro que isso não tem o menor fundamento por uma simples razão: o Brasil é um dos países mais desiguais do mundo, mas pergunte em sua roda familiar ou de amigos, quantos deles teriam coragem de empunhar uma arma (seja branca ou de fogo) e sair por ai praticamente roubos ou até mesmo chegar ao absurdo de tirar a vida de alguém. Se num contingente de 1000 pessoas, uma disser que teria essa coragem é muito. Ou seja, a ideia de que o bandido é vitima da sociedade é uma falácia sem tamanho e não tem nenhum sustento prático.

Infelizmente temos alguns casos onde representantes dos direitos humanos acabam sendo vitimas daqueles indivíduos que estão sendo cuidados por esses representantes. Sim, isso acontece. Pessoas que tem um passado marginal e são “acolhidos” pelos direitos “humanos” acabam praticando crimes contra aqueles que estão ali supostamente para lhes ajudar a serem inseridos novamente na sociedade.

E foi justamente isso que aconteceu com Simone de Moura Facini Lopes. Ela era voluntária numa igreja, da qual fazia parte, dando aulas para crianças num projeto religioso e também ajudava pessoas de fora a ler e escrever.

De acordo com a família da vitima, ela teria ido a uma chácara na região rural de São José do Rio Preto (SP) para alfabetizar e dar ensino religioso para um dos moradores. Segundo a policia local, esse homem que tem 64 anos está foragido e é o principal suspeito de ter cometido esse crime bárbaro. Outro homem, de 47 anos, também frequentava o local e foi o primeiro quem chegou na cena do crime e entregou uma marreta, que foi usada para matar a vitima, aos policiais que cuidam do caso.

defensora

Simone de Moura Facini Lopes, vitima dos “manos”, que justamente ela defendia.

Além de chamar atenção pela brutalidade em cima da moça, que resultou em sua morte, o que deixa qualquer um perplexo é saber que a vitima fazia um trabalho voluntário, sendo representante dos direitos humanos, e tentava (utopia pura) ressocializar marginais que já tinham sido presos justamente por crimes de estupro. E ela, achando que seria respeitada por marginais, foi ao local sozinha, imaginando que o fato de ajudar esses bandidos a faria “amiga” deles.

Só que ela, infelizmente, não contava com um detalhe: marginais não estão a fim de serem inseridos novamente na sociedade, caso fosse assim não cometeriam crimes para voltar à prisão, não é mesmo? São casos totalmente perdidos e, repetimos, deixa a sociedade extremamente preocupada ao saber que os diretos humanos, hoje direitos dos manos, estenda a mão para facínoras desse quilate e viram as costas para o povo inocente. Onde nossa sociedade vai parar com essa inversão de valores?

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2017