Fim das cotas e programas sociais! Pra ontem! | Politicos Do Brazil
Fim das cotas e programas sociais! Pra ontem!
Por admin
19/09/2017

Se tem dois assuntos que geram muita polêmica em todo globo terrestre são as tais “cotas” e programas sociais. Não importa sua nomenclatura, quando se fala cota ou programa social, todo mundo sente um arrepio que vai da moringa (cabeça) até o dedo mindinho do pé.

E não é pra menos sentir toda essa paúra sobre o tema. Afinal, uma parte da sociedade dita moderna trata isso como uma conquista que demorou milhares de anos. Segundo essa parte, se faz justiça a um grupo da pirâmide social que sempre esteve a margem da sociedade, sendo tratados como minorias desamparadas e irrelevantes.

Óbvio que isso tudo, além de ser uma falácia, é uma babaquice sem tamanho.

As explicações são simples… a sociedade sempre viveu de maneira ligeiramente tranquila desde os seus primórdios no que tange as relações interpessoais, mesmo que em nossa história tivemos todos os tipos de lideres politicos que ameaçaram a raça humana promovendo guerras ao longo dos séculos. Sim, também é verdade que o racismo teve um capitulo a parte na história mundial, principalmente em países desenvolvidos, tais como EUA e partes da Europa. Mas é verdade também que o ser humano sempre levou isso “numa boa”.

Mas ao longo do tempo, com governos cada vez mais populistas, a soma pessoa + estado começou a tomar proporções descomunais. O Estado vem, ao longo do tempo, colocando sua mão gigantesca em cima das pessoas. Para os políticos, as pessoas tem que viver sob a tutela do governo e serem submissas o tempo todo. Não! O grande erro está justamente nisso.

Ai chegamos no motivo do artigo. As cotas e programas sociais, especificamente no Brasil, são levadas sob chacota. O motivo? Virou nada mais, nada menos do que compra de votos velada. Os maiores exemplos disso são a bolsa família e as cotas raciais.

Um tempo atrás fizemos um artigo sobre o programa social bolsa família. Ali abordamos de maneira critica no que se transformou uma ideia criada (sim) na gestão FHC com outro nome e com o advindo do seu sucessor, o programa se transformou simplesmente num caça votos, levando cada vez mais e mais pessoas sem o mínimo de estrutura a se vender por migalhas, achando assim que estão resolvendo seus problemas financeiros. O custo é alto. Dar um voto para um politico populista as custas de um valor irrisório vai contaminar todo o futuro de gerações. E isso é fato, não é boato.

As cotas raciais também já foram tema de artigo aqui no blog. E sinceramente achamos, sem errar, que as cotas raciais são apenas uma maneira de segregar ainda mais as pessoas. Quando um certo cidadão, ao criar o dia do orgulho negro, disse que “tinhamos” uma divida historia com os negros, ele foi leviano e mostrou efetivamente que não conhece a história de seu país. Mas isso nem vale a pena comentar…

Criar cotas para entrar em universidades públicas e concursos também é um grande erro. Imagina a seguinte situação: você, branco, estudou como um condenado para a prova da FUVEST. No dia da prova, você deu tudo de si e saiu de lá confiante de que arrumou seu lugar numa das maiores universidades das Américas. No dia de ver as notas, você (pode acontecer, acreditem) empatou com vários outros na colocação que lhe daria essa tão sonhada vaga. Mas no decorrer do tempo, a universidade ignora você e “doa” a vaga aquele que empatou contigo simplesmente porque ele é negro (a) de família pobre. Gente… onde que isso está certo??? São notas iguais, o que mostra que ambos são qualificados. Mas por uma questão de pele, apenas um deles teve seu sonho realizado. É humanamente impossível alguém concordar com isso.

O pensamento liberal é de que as pessoas tem que conseguir suas ambições por méritos próprios e jamais apelar para o Estado. As cotas diminuem as pessoas. Colocam-nas no nivel mais baixo da dignidade humana. Basta ver como são tratados de maneira “diferente” aqueles que são cotistas, seja em qual situação for. Ninguém pode ser tratado assim. Ninguém quer ser tratado assim. Todos e todas querem ser tratados de maneira igualitária. Somos iguais. A cor ou raça não pode ser fator determinante nas escolhas. Jamais. E principalmente não podem ser levados em conta na hora de ajudar ou atrapalhar alguém.

Os programas sociais, difundidos apenas por governos populistas, distancia ainda mais essa igualdade entre os seres humanos. O bolsa família é um problema, afinal você dar um valor pra alguém de maneira gratuita não ajuda em nada no desenvolvimento pessoal de ninguém. Ao contrário, transforma a pessoa num parasita do dinheiro público. São muitos os casos de pessoas que simplesmente ignoram o fato de procurar um trabalho, seja formal ou informal, para viver daquele dinheirinho que, pra muitos, é o valor daquela cervejinha de final de semana na favela.

Claro que não podemos esperar que algum governante brasileiro coloque fim desses programas e cotas. Para fazer isso tem que ter muita personalidade e enxergar o país como um macro e não apenas aquele nicho das ditas “minorias”, que por mais louco que possa parecer acabam sendo a grande maioria.

Queremos sim o fim desses programas e cotas. Sim! Não achamos justo isso e sempre iremos bater nessa tecla. Alguns poucos não podem pagar por muito alguns. Essa conta jamais vai fechar!

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2017