O partido Novo é uma novidade ou apenas mais do mesmo? | Politicos Do Brazil
O partido Novo é uma novidade ou apenas mais do mesmo?
Por admin
05/05/2018

O Brasil é um país peculiar em vários aspectos. Seu tamanho, seu povo, costumes e cultura que difere de região pra região, a grande gama de religiosidade que vai da católica até p candomblé e outras cositas más.

Algo que chama muita atenção nessas peculiaridades é o número gigantesco de partidos políticos que temos em nossa querida pátria. A última contagem alcançou a inacreditável marca de 35 partidos registrados! Para efeito de comparação, o EUA (a maior nação do mundo) tem apenas 2.

E aqui temos uma verdadeira zona, pois são tantas siglas, muitas das vezes que querem dizer absolutamente a mesmíssima coisa, mas sabe como é… o brasileiro gosta de florear.

Um dos caçulas dessa verdadeira festa do crioulo doido é o partido Novo, capitaneado pelo empresário João Amoedo.

Vejam, ele quis deixar claro que se trata de um partido Novo mesmo, já começando pelo nome. Puro marketing ou realmente ele não tem similares?

Alguns pilares do partido se diferenciam dos que temos atualmente. Um deles é o de fazer uma seleção de candidatos para concorrer aos cargos, algo inédito na política brasileira. Como todos sabemos, para concorrer a algum cargo político nos outros partidos, bastava apenas se filiar, participar de convenções do partido é simplesmente “meter as caras” na urna eletrônica.

Isso deu margem para verdadeiros paraquedistas adentrarem no sombrio mundo político, como por exemplo Tiririca, ficando apenas em um nome muito conhecido.

O partido também abriu mão do fundo partidário. Ele tem a ambição, segundo seu fundador, de sobreviver com as próprias pernas, ou seja, com seus “militantes”. Outra ótima ideia. Vamos ver até quando eles irão aguentar esse tranco.

Outra tacada de mestre: não fazer alianças políticas, pois o partido não se alinha nem com a direita e muito menos com a esquerda. Até o momento, isso vem dando resultados, pois banco seguiram eleger vereadores nas últimas eleições sem a ajuda de um partido “grande” na retaguarda.

Não podemos deixar de mencionar que Amoedo quer privatizar todas as empresas públicas que dão prejuízo, que no frigir dos ovos são realmente todas, pois nenhuma delas dá lucro. Outra bola dentro.

Os quatro vereadores eleitos pelo partido estão fazendo bons trabalhos. São eles: Mateus Simões em Belo Horizonte, Leandro Lyra no Rio de Janeiro, Janaína Lima em São Paulo e Felipe Camozzato em Porto Alegre. O grande destaque dessa turma é Janaína, que economizou em seu primeiro ano de mandato mais de 1 milhão de reais. Uma baita economia para a cidade, não é mesmo?

Mas nem só de rosas vive o partido Novo. O ex presidente do partido e candidato a presidente para 2018 deu uma entrevista para o site Sempre Em Família e falou sobre assuntos polêmicos, tais como aborto, drogas, casamento gay e desarmamento. A posição dele não tem muita sinergia com quem se diz liberal. Afinal, em algumas questões chaves do comportamento social, um presidente precisa ter postura firme. Acompanhando a entrevista vocês verão que não é exatamente essa a postura de Amoedo. Claro que não podemos generalizar em torno do partido, pois isso é uma opinião dele, num primeiro momento apenas dele. Mas como dizem, numa organização que tem presidente, geralmente a opinião dele prevalece sobre as demais. Não é uma regra, mas também não parece ser uma exceção.

Se colocarmos os prós e contras na balança, notamos claramente que o partido Novo tem propostas interessantes para o país, inclusive você pode conhecer as propostas de Amoedo clicando nesse link.

Ideias para um país com economia liberal, mas que necessariamente precisa ser conservador em seus costumes. Algumas coisas que afloraram com o advento do PT e da esquerda em si, precisam ser duramente combatidos dia pós dia. Precisamos sempre pensar no tripé que sustenta a família, que são DEUS, pátria e família. Esse deve ser sempre nosso pensamento. Nada abaixo disso. Se puder, sempre acima disso.

As eleições 2018 serão um grande termômetro para o partido Novo. Caso Amoedo e sua turma consigam eleger deputados estaduais e federais, além de senadores, será a prova inconteste que o partido ganhou músculos e será um grande adversário para as futuras eleições. Pensar em João Amoedo como presidente ainda é muito prematuro, mas não será estranho se ele conseguir uma grande quantidade de votos. Seria mais cabível ele pensar em quem vai apoiar para um eventual 2 turno. Concordam?

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2018