Alckmin vende a alma ao diabo para ser presidente! | Politicos Do Brazil
Alckmin vende a alma ao diabo para ser presidente!
Por admin
21/07/2018

Com a eleição batendo as portas, os candidatos a presidência buscam fazer suas alianças “estratégicas” para atraírem (ou traírem) mais eleitores e também, é claro, agradar algumas lideranças e partidos políticos que tem relevância no cenário nacional e mais ainda, no Congresso e Senado, onde as coisas realmente acontecem.

Um desses candidatos é Geraldo Alckmin. Governando o estado mais rico da federação desde 2011, ele é tido como um dos políticos mais influentes no cenário nacional. Sim, ele é. Apesar de muitos torcerem o nariz ao ouvirem seu nome e até compará-lo a um chuchu (sem graça), ele tem sim muita força, principalmente dentro do PSDB onde se tornou presidente nacional em 2017. Ou alguém é debil a ponto de dizer que isso é uma falácia? Acho que não.

Bom, mas mesmo tendo essa força nacionalmente falando, todo político precisa fazer seus acordos (alianças) espúrios. Basicamente esses acordos consistem em agradar tais partidos com indicações para ministérios estratégicos, além de secretarias e somar forças para alavancar a candidatura de algum membro para a governança de estados relevantes. No frigir dos ovos, nada mais é do que uma troca de favores descarada, sempre visando o bem deles, jamais o da população que neles confiaram seus votos. Mas isso é assim desde que vivemos numa República.

Todos sabem, ou pelo menos deveriam saber, que a politica é um lamaçal e que 99.9% dos políticos estão com lama até o pescoço. Tirando um ou outro que não se vende, aqueles de sempre estão e estarão sempre envolvidos com os bandidos que usam ternos. Por esse motivo, não tem cabimento dizer que, ao fazer alianças, ao menos se aliem a pessoas com o mínimo de caráter. Uma utopia fugaz que não esperamos que aconteça mesmo.

Agora, quando uma pessoa como Alckmin (sim, ele está envolvido em alguns escândalos) se junta ao lixo radioativo da politica, ai já é algo para se preocupar. E muito!

Quando mencionamos o termo “lixo radioativo da politica”, estamos nos referindo simplesmente a partidos da estirpe de DEM, PR, PP, PRB e SD. Esses partidos, todos sem exceção, tem algum integrante envolvido em escândalos de corrupção. Mas se juntando a eles, Geraldo Alckmin garante o maior tempo de exposição na televisão, algo em torno de 8 minutos. Na politica, esse tempo é uma eternidade e pode muito bem enganar aqueles eleitores que ainda estão indecisos e provocar uma lobotomização em massa. O chamado “centrão” da politica nacional tem muita força nos bastidores de Brasilia também e isso facilita muito na tramitação de leis e outros por menores.

Um nome em particular que faz parte do SD (Solidariedade) chama muito nossa atenção. Seu nome é Paulo Pereira da Silva, mais conhecido como Paulinho da Força. Esse senhor, outrora sindicalista, esteve sempre envolvido em polemicas. Não faz muito tempo, quando o fim do imposto sindical ainda era discutido (obrigado STF por enterrar de vez essa aberração), ele junto a outros representantes sindicais, fez o diabo para que o imposto sindical continuasse existindo. Ele alegava que os sindicatos não poderiam sobreviver sem isso. Na verdade, ele falava na primeira pessoa.

Pois ao costurar uma “amizade” com Alckmin, um de seus pilares era a criação de um novo financiamento sindical. Em outras palavras, ele quer novamente o maldito imposto, só que com outro nome. Uma canalhice sem precedentes na história politica brasileira moderna. Um absurdo completo! Tentem imaginar esse homem como Ministro do Trabalho ou Ministro da Fazenda??? Seria o apocalipse empregatício e econômico do país!

Não podemos deixar de citar também o nome de Valdemar  Costa Neto. O homem que realmente manda no PR (Partido da República), condenado e preso no Mensalão, é um dos mais “cortejados” na politica brasileira. Esse sujeito desqualificavel teve o perdão da pena concedido pelo aparelhado STF e sempre está no meio das maiores atrocidades politicas desse país. Sabe aquele verme que insiste em não morrer? É o próprio. A mão desse homem é tão forte que ele foi o responsável pelo nome do vice na chapa de Alckmin. Oras, tentem imaginar o tamanho do estrago que ele será capaz ao fazer tal indicação!

Com a presença desses dois nomes na aliança demoníaca que Alckmin costurou para tentar a presidência da Republica, é justo afirmar com todas as letras que ele está vendendo a alma ao diabo para conseguir seu intento. Isso só corrobora com nossa tese de que na politica o que vale são as alianças em si e não a honestidade do candidato. Uma pena…

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2018