Por que a esquerda sempre é do contra? | Politicos Do Brazil
Por que a esquerda sempre é do contra?
Por admin
04/11/2018

Vamos fazer uma conta rápida? De 1984 (época da Diretas Já) até os dias atuais já se vão 34 anos. Conta básica, que até petista consegue fazer.

Pois bem, nesses 34 anos tivemos apenas 7 presidentes. Se contarmos o senhor Luiz Inácio e Dilma, que protagonizaram quase 16 anos de petismo, eis que chegamos ao absurdo de apenas 18 anos divididos em mais 5 personagens diferentes. Tirando os 8 anos de FHC, ai complica de vez. Serão apenas 4 presidentes diferentes. Gente… e ainda chamam isso de democracia. Enfim…

Se colocarmos apenas os partidos na berlinda, vejam que curiosidade: todos, sem exceção, eram políticos da esquerda. Com a exceção do PT, que configura extrema esquerda. Alguém discorda? Tanto é de extrema esquerda, que o PT tem os 2 pés no nazismo.

Ah, mas o PT era oposição na época de Collor e FHC. Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, que piada!!!! A oposição era tanta que nos dias atuais Collor é visto com representantes petistas andando pra cima e pra baixo, invariavelmente em jatinhos particulares pagos com nosso suado dinheiro. Sobre FHC fica ainda pior. Quem acompanha nosso blog desde sempre, sabe que fizemos um artigo onde mostramos, ipsis litteris, a amizade praticamente carnal entre FHC e Luiz Inácio. São amigos de longuíssima data, de um panfletar pro outro e vice versa. Coisa linda de ser. Causa inveja até em Thammy Gretchen e Pablo Vittar.

Se você leu até aqui, deve estar se perguntando: por que diabos então o titulo diz que a esquerda sempre é do contra???

Elementar, pequenos gafanhotos, a esquerda brasileira é uma doença. E doença não escolhe lado. Ela aparece em ricos, pobres, negros, brancos, asiáticos, altos, baixos, gordos, magros, católicos, evangélicos, umbandistas, ateus, fascistas, nazistas, eletricistas, marxistas, fundistas, maniqueístas, maquinistas, enfim, aparece em todos e todas. Assim é a esquerda.

Quando a esquerda ascende ao poder, ela faz o que estiver ao seu alcance para dizimar seus adversários. Quando dizemos dizimar, não estamos brincando. Se for pra matar, eles matam. Se for pra silenciar, eles silenciam. Se for pra mandar pra terra dos pés juntos, eles mandam. Não tem meio termo. Eles não aceitam oposição. Sempre querem calar quem fala deles, a não ser que fale bem. Patologia pura. Nem Freud explica.

Basta ver o que anda acontecendo no EUA. A parte socialista do império americano tripudiou em cima de Trump durante toda a campanha. Quando ele se tornou presidente, acham que eles sossegaram? Não. Mesmo o mandato sendo largamente positivo para todos (as) habitantes, sempre surge uma ala para encher o saco. Não se conformam que aquele que eles humilharam, hoje é exaltado por grande parte da população do maior país do mundo. Go Trump!

E no Brasil? Ahhhhhhhhh, o Brasil… sempre o mesmo. Nada muda. Ou muda? Ou mudará?

A eleição de Bolsonaro, quista por mais da metade de nosso povo, foi amplamente aplaudida por boa parte do mundo. A parte boa que produz riqueza. Claro que a parte podre, onde nada se produz, apenas fome e miséria, achincalha o presidente eleito sempre que pode. Modus operandi de sempre. Acuse-os do que você faz, chame-os do que você é.

Bastou o presidente eleito proferir algumas palavras, quando da confirmação de sua vitória, que já começaram as frases demenciais para tentar lhe diminuir perante seu eleitorado. Frases prontas, repetidas a exaustão, que demonstram o quão pombos são esses (as) amalucados.

assessores

Bolsonaro faz sorteio para alguns veículos de comunicação. Já vem um e diz que ele protelou alguns veículos. Não se deram ao trabalho de procurar saber a verdade. Não tinha espaço fisico e foi feito um sorteio. Pronto.

O presidente escolhe Moro para ministro da justiça. Lá vem a ladainha de que Moro prendeu Luiz Inácio simplesmente para esse não concorrer as eleições e buscando sempre um cargo politico no governo bolsonarista. Uma viagem regada a muito santo Daime e psicotrópicos.

O presidente diz que vai tipificar crime organizado como terroristas. Lá vem Gleisi “narizinho de plástico” Hoffmann dizer que isso vai decair sobre os movimentos ditos “sociais” MST e MTST e pessoas que lutam pela “igualdade”. Mera doidice da amante Odebretch. Mas pelo menos ela aceitou a ideia que MST e MTST fazem parte sim do crime organizado, assim como o PT, conhecido por todos os cantos como ORCRIM.

Chegamos ao absurdo de alguém dizer que bandido portando fuzil NÃO é uma ameaça a sociedade. Tudo porque um determinado governador eleito disse que vai colocar snippers para eliminar esses elementos. Oras! Se alguém está portando um fuzil, que coisa boa ele pode querer? Nada de bom. Simples.

Ai pra ficar ainda mais doido, eis que surgiu a turma da “resistência”. Segundo eles (as), irão resistir até o final desse governo “fascista”. Eles sabem o significado de fascismo? Não. Então por que enchem o saco? Porque querem apenas tumultuar e continuar a sina de sempre ser do contra. Já viu algum desses (a) ser “resistente” aos absurdos praticados contra o povo brasileiro nos ultimos 16 anos? Não. Nem vai ver.

Que fique claro: tudo que um presidente quiser fazer e não obedecer a narrativa esquerdista, eles irão fazer de tudo para barrar. Não interessa que seja para o bem do povo. A esquerda não gosta de povo. A esquerda não se importa com o povo. Aquele cidadão que precisa de um remédio e morre na fila do hospital entra apenas para as estatísticas de mais de 100 milhões de mortes que a esquerda já produziu e continua produzindo mundo afora. Apenas isso.

Ao invés de torcerem para que o presidente eleito faça um ótimo mandato, pois assim beneficiará a todos (as), preferem fazer exatamente o contrário. Isso é nojento. É grotesco. É absurdo. É ridículo. O Brasil é de todos nós. Ele indo bem, todos irão bem. Até mesmo os da esquerda…

Em breve, um próximo artigo. Até lá.

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2018