Haja paciência… | Politicos Do Brazil
Haja paciência…
Por admin
01/03/2019

Hoje (01/03/19) se completam exatamente 2 meses do governo de Jair Bolsonaro.

Parece que foi ontem que eu estava nas ruas de SP pedindo o impeachment de Dilma Rousseff e falando no meu twitter sobre o então deputado federal. Ele despontava como um ferrenho critico do desgoverno petista e um pré candidato a sucessão de Temer.

O tempo passou, ele realmente foi lançado candidato a presidência e ganhou com uma votação impressionante, quase chegando aos 58 milhões de votos.

O raiar do primeiro dia de 2019 trouxe a esperança a milhares de brasileiros. Bolsonaro era empossado presidente. O Brasil se livrava finalmente da desgraça esquerdista que começou com a eleição de FHC e se estendeu até o ultimo dia de Michel Temer.

Pareciam tempos de paz. Nas redes sociais, os eleitores de Bolsonaro estavam em perfeita sinergia. Falavam a mesma língua e comemoravam ávidos pelas mudanças que estavam por vir.

Mas estamos no Brasil. Aqui parece que tudo é do jeito mais complicado.

Com o passar dos dias e algumas histórias que a mídia esquerdista criava, aquela sinergia parece que estava se esvaindo. As noticias sobre Carlos Bolsonaro, Flavio Bolsonaro, Queiroz e etc, acabou mexendo com a cabeça de alguns (as) eleitores (as) de Jair Bolsonaro nas redes sociais, sobretudo no twitter, onde a resposta é mais dinâmica.

De uma hora para outra, muitos (as) começaram a questionar o presidente e suas atitudes em relação aos filhos, a escolha dos ministros, até a própria maneira de falar, agir e se vestir. Tudo era motivo para desconfiança desmedida.

Parece, olha a maluquice, que estavam até arrependidos de terem votado no candidato da mudança. Sim, parece uma demência isso que escrevo, mas foi o percebido em alguma situações nesses 2 meses de governo.

Obstante o fato de parte da mídia massacrar qualquer decisão do presidente e fazer quase que uma força tarefa para defenestrar seu governo, não é admissível que seus eleitores comprem essa história fantasiosa e acabem acreditando em falácias malucas e sem sentido.

A nomeação de Ilena Sazbó por Sergio Moro para ser uma das coordenadoras do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária mostrou bem isso. Choveram criticas a nomeação da moça, todas com razão, mas em especial criticas muito duras ao ministro da justiça!

A competência de Sergio Moro foi questionada por muita gente no twitter e facebook. Sim, o homem que prendeu o maior ladrão de todos os tempos teve sua competência questionada pelo simples fato de ter indicado a senhora citada acima a um cargo irrelevante em um conselho, onde ela não teria voz alguma e nem remuneração. Trocando em miúdos, era um cargo meramente decorativo.

É claro que diante disso tudo, o ministro Sergio Moro (e não o presidente, viu Vera Magalhães?) achou por bem não dar posse a Illona e assim acabar com todo esse rebuliço.

Deixo claro que também fui contra essa nomeação, mas em nenhum momento questionei a competência e inteligência do ministro. Ao meu ver, essa nomeação tinha apenas caráter politico e em nada influenciaria o governo, mesmo tendo em vista o currículo esquerdista de dona Ilona.

As pessoas que votaram em Bolsonaro, fizeram isso acreditando em mudanças. Mas as mudanças não em num passe de mágica. Ainda mais sabendo que foram quase 25 anos de supremacia esquerdista no governo. Os estragos foram imensos e vai ser preciso muita paciência pra resolver essa lama que virou nosso país.

E também é preciso muita paciência ao ver as criticas infundadas ao nosso presidente e ao seu super ministro. O caminho é longo e árduo, mas só com a confiança de todos (menos do lixo da esquerda) é que os desafios serão superados.

Que tal acreditar mais na equipe do presidente? Que tal deixar o pessimismo de lado? Que tal acreditar que estamos no caminho certo? Podemos fazer isso. E faremos.

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2019