Punição aos atores da peça. Não ao público. | Politicos Do Brazil
Punição aos atores da peça. Não ao público.
Por admin
08/03/2019

Punição aos atores da peça. Não ao público.

“Abrem-se as cortinas e começa o espetáculo…”

Quem já foi num teatro provavelmente deve ter ouvido essa frase antes de começar o grande espetáculo teatral do dia, ou da noite.

Uma peça de teatro geralmente é algo muito bonito de se ver, com temas relevantes para o cotidiano, sem esquecer de algumas comédias que fazem muito bem pra alma e nos fazem sair de lá relaxados (as). Deveria ser assim… deveria.

Mas estamos no Brasil.

Alguém se lembra de uma “peça teatral” chamada Macaquinhos? Quase certeza que ninguém lembra. A peça em questão falava sobre a exploração do corpo, mas precisamente do ânus. Que????? Como assim??? É isso mesmo. Atores e atrizes ficavam em fila, em 4 patas (como os cachorros), “explorando” o brioco um do outro. Detalhe: tinham mulheres na peça. Sim, admito que é algo degradante para um ser humano normal. Como disse acima, isso é coisa de animais. Mas o animais são irracionais. Ou os irracionais são alguns seres humanos? Ah, sei lá, hoje parece tudo a mesma porcaria.

Calma que ainda não acabou.

Uma outra performance “artistica”, dessa feita no Museu da Arte e do Som (MAM), trouxe algo ainda mais podre. Nessa verdadeira aberração, um homem fica completamente NU ao lado de várias crianças e, pasmem, as mães dessas crianças até incentivavam que elas tocassem no homem NU. Eu disse NU!!! Um homem NU com várias CRIANÇAS ao seu redor!!!! E o responsável pela “arte” disse que isso não tinha nada de mais. Apenas arte, disse ele…

Em ambos os casos, parte da mídia incentivou os “espetáculos”. Segundo eles, isso é a exploração da arte e deve ser incentivada sim para todos os públicos. Não importa se uma remete a escatologia e a outra a pedofilia. Isso é bobagem.

2019. Bolsonaro presidente.

Um twitter do presidente causou um verdadeiro alvoroço nas redes sociais.

Nesse twitter, o presidente mostrava um video onde algumas criaturas (não consigo chamar de seres humanos) faziam uma “performance artistica” ao ar livre. Nossa, que legal, arte nas ruas deveria sempre ser incentivada, né? Claro. Mas não desse tipo.

Ocorre que enquanto um defecava na rua, outro mijava no seguinte e esse seguinte bebia a urina do conseguinte, enquanto um dito cujo enfiava o dedo no orifício anal de um outro participante, no que configurou uma cena simplesmente nojenta. Ah, tudo isso em plena festa popular, o tal do Carnaval. Aquela festa que mostra aos gringos o que é esse país: putaria, bebidas, violência e mortes.

Puxa vida, diriam vocês, então o presidente fez o correto em mostrar o video e assim os atores dessa peça demoníaca podem ser presos. Que atitude maravilhosa dele. Merece os aplausos.

Ele merece os aplausos sim. A atitude dele foi correta. Afinal, o presidente deve se inteirar de tudo que acontece no país. É pra isso que ele foi eleito.

Mas então, por que diabos isso se tornou uma polemica e muitos jornalistas (de empresas que tiveram corte de propaganda federal) simplesmente deturparam toda a história? Pra eles, ao mostrar a realidade do país, o presidente cometeu uma quebra de decoro. Hein? Que????

Para a oposição (leia-se PT e seus macaquinhos amestrados), foi algo digno de pedir o impeachment do homem eleito por 58 milhões de brasileiros (as). É digna de risos uma afirmação tão estapafúrdia.

Só pra constar, em nenhum momento essa camada da sociedade se escandalizou com a “arte” promovida pelas criaturas ao ar livre. Não. Pra eles, isso é carnaval e tudo pode. Sem problemas. Na cabecinha deles, o erro foi a postagem do vídeo. Em nenhuma mídia é dito que o caso configura atentado violento ao pudor, passível de detenção.

O alvo é o presidente. O mesmo video foi postado por N perfis no twitter. Mas passou ileso. Agora, por se tratar de Bolsonaro, ai virou motivo de discussão acalorada entre eles. Repito: não mencionaram em nenhum momento o crime cometido.

A grande loucura nisso tudo é que os próprios protagonistas desse crime já confessaram que não tinha nada a ver com o Carnaval e sim um ato politico contra o governo atual. A criatura de nome Paulo Castello, de mente perturbada que diz não se identificar nem como homem e nem como mulher, disse que a “performance” foi um ato simplesmente politico de quem “milita contra o conservadorismo e contra a colonização dos nossos corpos e nossas práticas sexuais”. Seja lá o que isso queira dizer.

Em resumo, o presidente quis alertar para a realidade que viraram os blocos de rua no carnaval. Na verdade, o que tem sido o carnaval desde que ele existe, pelo menos no Brasil.

Detalhe que chama atenção: nos 3 casos citados nesse artigo, parte da mídia tratou sempre como “arte”. O conteúdo não importa. E nos 3 casos a hipocrisia impera.

Já disse em alguns artigos e volto a dizer, limpar a sujeira que o PT fez ao país nos últimos 16 anos vai ser uma tarefa hercúlea. Mas não podemos desistir. O presidente está fazendo seu papel e precisamos apoia-lo. Lutar contra o vírus petista não será fácil. Todos (as) precisam fazer sua parte.

#BolsonaroTemRazão

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2019