Quem são as vitimas da sociedade? | Politicos Do Brazil
Quem são as vitimas da sociedade?
Por admin
30/03/2019

De vez em quando, ao dispor de um tempo livre, costumo assistir às notícias na imprensa. O que me chama a atenção, nessas mesmas notícias, são os confrontos entre policiais e criminosos (onde, quase sempre, ocorrem mortes de ambos os lados). Mas o que mais me deixa indignado é o tratamento diferenciado que a imprensa (esquerdista, por sinal) dá aos envolvidos nestes confrontos. Já se tornou quase que um mantra (da parte da esquerda) dizer que o criminoso é uma “vítima da sociedade”. Em outras palavras: toda vez que um criminoso morre, vêm os ditos “defensores dos direitos humanos” protestar contra a brutalidade da polícia, a “truculência”, a “repressão”, enfim, o criminoso é visto como um santo e o policial como um demônio.

Por que o criminoso é visto desta forma pela esquerda? A esquerda alega que ele não teve uma boa educação, não conseguiu ter um bom emprego, é um pobre miserável e negro, mora numa favela, a família é pobre, e, por falta de oportunidades, teve que entrar no mundo do crime para sobreviver. Ainda de acordo com a esquerda, só a elite tem bons empregos, é bem educada, tem as melhores oportunidades, e o governo não se preocupa com as ditas “minorias” (nas quais os criminosos estão inseridos).

Além disso, a esquerda alega que a polícia é repressora, que ela representa o Estado em defesa dos interesses da elite, que os pobres e negros são excluídos, enfim, a esquerda tenta culpar os cidadãos de bem pela vida errada (do crime) que o indivíduo escolheu seguir.

Diante de alguns desses argumentos pífios, eu, como cidadão consciente, me vejo na obrigação de dar uma resposta à altura aos políticos e militantes esquerdistas, aos defensores de direitos humanos, “especialistas”, e “intelectuais”. Por isso, vou aproveitar a oportunidade de que disponho agora para dizer (com todas as letras) quem são as verdadeiras vítimas da sociedade:

• Vítimas da sociedade são os trabalhadores, que dão um duro terrível para ganhar, ao final do mês, um salário que mal dá para sobreviver, enquanto os políticos corruptos ganham verdadeiras fortunas e desfrutam de mil e uma mordomias (custeadas com o nosso dinheiro, através dos exorbitantes impostos que pagamos);

• Vítimas da sociedade são os pobres que morrem diariamente nas filas e corredores dos hospitais públicos que atendem pelo SUS, o qual poderia oferecer uma saúde pública de boa qualidade a todo o povo se não existissem tantos casos de desvios de verba, falcatruas, hospitais sucateados, falta de medicamentos, falta de médicos, enfermeiros, e demais profissionais da área de saúde, corrupção, e outros desmandos em geral;

• Vítimas da sociedade são os policiais, que, todos os dias, colocam a própria vida em perigo para nos proteger dos mais perigosos criminosos (sem contar os policiais que são impiedosamente mortos por alguns destes mesmos criminosos em determinados confrontos);

• Vítimas da sociedade são os velhos aposentados pelo INSS, que, depois de terem trabalhado com muito sacrifício durante uma vida inteira, ganham uma verdadeira mixaria para sobreviverem, enquanto que os políticos corruptos, com apenas 8 anos de mandato, se aposentam recebendo valores milionários (sem contar os roubos das aposentadorias dos velhos praticados por esses mesmos políticos);

• Vítimas da sociedade são os professores, que, além de serem mal remunerados, são desvalorizados, quase já não têm mais autoridade na sala de aula, e, na maioria das vezes, são porta-vozes da ideologia esquerdista dominante no sistema educacional;

• Vítimas da sociedade são os menores abandonados, vindos de famílias desestruturadas, e que, sem uma educação adequada, vivem entregues à própria sorte, e serão futuros novos criminosos;

• Vítimas da sociedade, enfim, somos todos nós, cidadãos comuns, que convivemos com a saúde sucateada, a educação destruída, a insegurança generalizada, a violência assustadora (onde o número de homicídios passa de 60 mil por ano), a impunidade constante, e onde não há mais em quem se possa confiar (institucionalmente falando).

Só deixaremos de ser vítimas da sociedade quando tivermos conscientização política e senso crítico para sabermos escolher os nossos ditos representantes, pois, se temos o dever de votar, temos também o direito de exigir que esses ditos representantes correspondam aos nossos anseios (para que estes não sejam apenas meras promessas de campanha).

Que escolha faremos: continuaremos sendo vítimas da sociedade, ou nos mobilizaremos para mudar este quadro?

A decisão é nossa!

“Um povo que não luta pelo futuro que quer será obrigado a aceitar o futuro que vier”

 

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2019