Universidade pública cobrando mensalidade? | Politicos Do Brazil
Universidade pública cobrando mensalidade?
Por admin
08/05/2019

Já faz muito tempo que estou querendo escrever um artigo falando sobre universidades públicas, gratuitas e coisa que o valha.

Antes de mais nada, é preciso pontuar que as universidades públicas são mantidas com dinheiro de impostos, assim como escolas e qualquer outra repartição pública, em qualquer lugar do mundo. Muitas pessoas ainda tem uma ideia fixa que o governo dá alguma coisa para alguém, seja no ensino, seja água, seja qualquer tipo de serviço. Ledo engano.

Aliás, eu já fiz um artigo mais ou menos sobre isso. Não existe almoço grátis.

Mas voltando ao mote desse artigo, você deve ter em mente que a escola municipal, estadual e federal do seu filho (a) é paga por você. Sendo assim, seja você pobre, rico, milionário ou etc., está pagando o ensino. Direta ou indiretamente.

Oras, se eu já estou pagando o ensino do meu filho e de outras crianças/adolescentes com meu imposto, por que eu teria que pagar uma mensalidade na universidade pública? Qual o sentido disso?

Algumas pessoas, dentre eles movimentos como o MBL e, pasmem, políticos da esquerda, defendem que o filho do “rico” tem que pagar uma mensalidade na universidade pública. Segundo eles, se a pessoa tem condições de pagar, por que não pagaria? Para eles, isso é um absurdo, um disparate, uma vergonha etc.

A explicação bizarra, segundo eles, é a seguinte: a universidade pública tem que ser apenas para os pobres ou, num segundo momento, para quem não tem condições de pagar uma universidade privada. O termo “pobre” é bem discutível e todo mundo sabe disso. Na época do PT, eles consideravam classe média quem ganhava pouco mais de um salário mínimo. Como se sabe, o salário mínimo brasileiro sempre foi um dos mais baixos do mundo. Sem mencionar o fato que, em alguns países, salário mínimo nem existe.

Outra explicação, essa até plausível, é que os filhos de ricos são os responsáveis pelas balbúrdias que acontecem nas universidades públicas, em especial nas federais e na USP, UNICAMP e tal. Essa até dá para entender. Realmente o que alguns alunos fazem nessas universidades é deplorável. E realmente em sua quase totalidade, sai da mente de alunos mais “abastados” financeiramente, pois geralmente aquele que entrou ali por ENEM, cota racial, cota social ou qualquer outro mecanismo, sua preocupação é estudar e dar orgulho para sua família. Mas atenção: isso não é uma regra. Nem todos os “pobres” agem assim. Alguns inclusive estão no meio das balburdias mencionadas anteriormente.

A discussão sobre o tema voltou com tudo, quando o governo anunciou um corte de verbas para as universidades federais. Muita gente teve ataque de pelanca. Quando menciono muita gente, não me refiro aos eleitores (as) do presidente Bolsonaro. São justamente os que não votaram nele. Em especial os eleitores (as) do PT. Parece inclusive que se esqueceram do corte gigantesco que Luiz Inácio e Dilma fizeram na educação, inclusive de base.

É público e notório que os socialistas/comunistas não gostam de gente preparada. São mais fáceis de manejar psicologicamente. É assim em Cuba, Coreia do Norte, Venezuela, Bolívia e outros países, inclusive da Europa. O método é o mesmo desde a Revolução Russa, em 1917. Tirem os livros das pessoas e você tirará tudo delas. Parafraseando um tal de Gramsci…

O que causa espanto aqui no Brasil é que movimentos que ajudaram a derrubar Dilma, como o MBL, estão comprando essa ideia. Eu já fui um grande entusiasta do movimento, tendo inclusive feito artigos sobre Kim Kataguiri, Fernando Holiday e do próprio MBL.

Só que sinceramente de uns tempos para cá, me causa estranheza algumas atitudes do movimento. Cobrar mensalidade de “ricos” é coisa de socialista. É a mesma coisa que cobrar mais impostos de quem pode mais. Como assim, cara pálida? Quer dizer que eu vou ser penalizado por ser rico?

Já não basta os impostos que a pessoa paga, ela ainda vai ser penalizada por ter mais dinheiro que as outras? Não. Isso é um absurdo sem precedentes. Oras, que as outras pessoas trabalhem bastante e tenham o mesmo nível de vida!

Esse, como pode se ver, é um tema que divide opiniões. Dificilmente se chegará a um consenso. Assim como eu defendo que todos sejam tratados de forma igual, tem aqueles que separam as pessoas por sexo, religião e poderio financeiro. O Brasil definitivamente não é para amadores…

Talvez chegue o dia em que todos se unam pelo mesmo propósito. Se o Brasil vai bem, o povo vai bem, se ele for mal, vai respingar em todos, não apenas no Zé da Reciclagem. É incrível perceber a dificuldade que as pessoas tem para entender o óbvio.

Antes de terminar, um recado para o senador Alvaro Dias: o senhor está comprando a ideia de malucos, inclusive compartilhando vídeos de “estudantes” vestindo vermelho em manifestações contrárias as medidas tomadas na educação, mostrando verdadeiramente de que lado o senhor está. Como senador, o senhor nada fez pelo povo brasileiro e agora vem jogar nas costas do governo atual uma conta que é oriunda de mais de 30 anos da esquerda no poder? Que vergonha! Bom, não esperava nada diferente vindo do senhor.

 

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2019