Freixo e Marielle: uma relação sangrenta | Politicos Do Brazil
Freixo e Marielle: uma relação sangrenta
Por admin
08/07/2019

Atenção: esse é o meu artigo de número 400!

Quem acompanha meu twitter pessoal (@oslecmac74) deve ter visto que eu fiz um questionamento para todos meus seguidores e não seguidores. Tive a ideia, depois de ver os desdobramentos do Pavão Misterioso, de fazer um artigo falando sobre a relação no mínimo complicada entre Marcelo Freixo (deputado federal PSOL) e Marielle Franco (vereadora assassinada PSOL). Vocês disseram que eu deveria fazer.

Pois bem, eis que aqui estou. Vou tentar mostrar para vocês o porquê, novamente citando o Pavão e também minha intuição, eu achar que Freixo e por consequência o PSOL, estarem por trás da morte da ex-vereadora Marielle.

Mas para tentar fazer uma conexão entre esses dois personagens, que acabou culminando com a morte de um deles, precisamos voltar um pouco no tempo. Em março de 2018, eu fiz um artigo falando sobre a morte da ex-vereadora. Quem ainda não leu, o link está aqui. A morte dela, na época, foi um estrondo na mídia. Hoje a poeira abaixou um pouco, apesar dela receber ainda homenagens em países esquerdistas mundo afora, mas eis que seu nome voltou à tona novamente. E arrastando junto um tal de Marcelo Freixo, sabidamente um dos piores políticos que o RJ empurrou goela abaixo dos brasileiros.

Freixo, como todos sabem, é um daqueles políticos de fala mansa (hahahaha, mas eu tô rindo à toa), praticamente um lorde inglês, quando se dirige aos seus possíveis futuros eleitores. Porém, quando esse cidadão empunha um microfone, seja na Câmara dos Vereadores do RJ, ou agora na Câmara dos Deputados, essa besta enjaulada se transforma e sai atirando para todos os lados. Lembram da história do mineiro que come quieto? Ele não é mineiro, mas sabe como ninguém dar razão a essa fábula.

Ele já atirou (figura de linguagem) em todos os políticos que não compactuam com seu modo lunático de pensar. Quem não lembra quando ele teve a brilhante ideia de, para acabar com a violência no RJ, implantar lâmpadas de LED nos postes de iluminação? Um gênio. Mas por trás dessa ideia idiota e estapafúrdia, existe algo muito maior. Desarmando a polícia, uma de suas bandeiras, juntamente com a ex-vereadora, ele teria praticamente o poder completo e irrestrito em suas mãos e assim poderia, à revelia, fazer suas estripulias e “ganhar” seu dinheirinho na tranquilidade.

Ele pensava que reinaria absoluto. Ledo engano. Eis que surge uma vereadora (Marielle Franco). Um verdadeiro furacão eleitoral. Um adendo aqui: apesar de, na época de sua morte, muita gente (inclusive eu) dizer que ela não passava de uma vereadora obscura, parece que os fatos depuseram contra e ela tinha sim uma força imensa, sobretudo dentro do PSOL.

E essa força começou a incomodar justamente o reizinho do partido.

A morte da cidadã, num primeiro momento atribuída de maneira irresponsável ao presidente Bolsonaro e seus filhos (vejam o absurdo!). Na época ainda deputado federal e em campanha para presidência, os militantes do PSOL e de toda esquerda, quiseram de toda forma imputar esse crime nas costas daquele que surgia como o grande homem capaz de enfrentar a esquerda, mesmo que para isso levasse uma facada, quase levando-o à morte.

Com o passar do tempo, chegou-se aos executores. Porém o mandante ainda não foi encontrado. Ou será que não quiseram encontrar? Dúvidas e mais dúvidas…

Existe um ditado que diz: o diabo ajuda a fazer, mas não ajuda a esconder.

E o ditado mais uma vez se mostrou um acerto.

O perfil Pavão Misterioso no twitter (já foi derrubado) escrachou a relação no mínimo nervosa entre Freixo e a vereadora assassinada.

Em trechos da conversa, percebe-se claramente a insatisfação dele com a moça, chegando ao ponto de dizer que ela (nega, como ele chamava) era um estorvo. Chega a mencionar que ela estaria crescendo demais dentro do partido e isso teria que ser “freado”. Como? Cada um tire suas conclusões.

Marcelo Freixo também menciona uma tal de Tatá, que vem a ser a deputada federal Taliria Petrone. Para ele seria mais fácil conduzir Taliria, praticamente transformando-a num fantoche nas mãos dele, do que Marielle que se mostrava de personalidade forte e muito mais politizada que Taliria. Já falei de Taliria aqui no blog. Segue o link.

O próprio Marcelo disse na conversa que o Pavão teve acesso que “largaria” Marielle de lado e colocaria todas suas forças na candidatura de Taliria. O que acabou se mostrando um acerto, já que ela conseguiu se eleger e hoje desfila toda sua ignorância política e humana, tanto pelos corredores da Câmara, como nas sessões dentro do Congresso, com seu jeito peculiar de falar e se expressar. Em alguns momentos, quando abre a boca para gritar, lembra muito aquelas carrancas, que são colocadas em barcos ao atravessarem o rio Amazonas e seus afluentes.

Esse artigo não é uma teoria da conspiração. Ele se baseia nos diálogos que estão na internet, onde todo mundo tem acesso. E também na maneira como a morte dessa moça tomou proporções gigantescas, para quem era apenas uma vereadora do subúrbio carioca. Se puxarmos pela memória, outros casos não tiveram tanta repercussão, tais como Toninho do PT ou Cosmo do Gás (vereador petista de santo André). Talvez porque naquela época não existia redes sociais e o Pavão, para botar a boca no trombone e destrinchar toda safadeza que ronda a política nacional.

Da esquerda para direita na foto: Marcelo Freixo, Marielle Franco, Monica Benicio, David Miranda (ele não é negro), Jean Wyllys e Glenn Greenwald (ou Verdevaldo)

Minha opinião pessoal, baseada em tudo que mostrei aqui, é de que o PSOL tem sim muito a ver com a morte de Marielle. Ela foi uma queima de arquivo interno. Para não colocar Freixo e outros em maus lençóis perante a opinião pública, o “melhor” para essa gente foi dar fim a ela e, infelizmente ao motorista, que estava com a pessoa errada, na hora errada, no lugar errado…

Tenho ciência que, ao ler esse artigo, muita gente da esquerda psolista vai espumar de raiva e querer o fechamento imediato desse blog. Já aviso de antemão que será um pedido inócuo, pois se esse for fechado, outro será aberto e os podres continuarão sendo expostos.

A grande realidade nessa porcaria toda é que Freixo e Marielle tinham uma relação conturbada, que no final se mostrou uma relação sangrenta.

Ao terminar o artigo, faço um apelo para os órgãos de justiça desse país, em especial ao ministro Moro e a Policia Federal: o PSOL, na figura de Marcelo Freixo, tem que prestar depoimento, depois da enxurrada de acusações feitas no perfil do Pavão. São acusações gravíssimas. Também peço que levem para depor a ex companheira de Marielle, a senhora Monica Benicio, assim como o negro fake David Miranda, além do Glenn Greenwald e o ex BBB Jean Wyllys. TODOS estão envolvidos até o pescoço em diversas patifarias, tanto na política, quanto na segurança do país, já que estão se envolvendo com terroristas de outros países.

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2019