Acabem com as saidinhas temporárias! | Politicos Do Brazil
Acabem com as saidinhas temporárias!
Por admin
15/08/2019

Esse artigo vai fazer apenas uma constatação, mas que muitos políticos (principalmente da esquerda) fazem questão de que isso não passe despercebido.

Dói muito o coração dizer isso, mas infelizmente é isso mesmo: aqui nesse país, o crime compensa sim. Não vou falar dos crimes políticos, porque aí é chover no molhado. Vou me ater apenas aos crimes mesmo, de morte, de pessoas inocentes, etc e tal.

Quem lembra daquele caso do garoto Vitor Burgmann? Para quem esqueceu, ele foi atropelado e morto na calçada de um bairro de SP. Quem praticou esse crime foi uma motorista bêbada. Ela perdeu o controle do carro, por causa do efeito alcoólico, e simplesmente ceifou a vida de um garoto que estava na flor da idade.

Além de não ter sido presa, ela hoje leva uma vida normal. Como se não tivesse feito mal algum para ninguém. Conseguem dimensionar isso? Detalhe: ela tinha ótimos advogados.

Infelizmente esse caso caiu no esquecimento. Tanto que não se tem mais notícias na internet sobre o ocorrido. O que é um baita erro. Afinal, uma morte absurda dessas não pode cair no esquecimento e mais ainda, não pode deixar uma assassina solta como se nada tivesse acontecido.

Mas o Brasil é prodígio em barbaridades…

Vou mencionar 3 casos que deram um bafafá monstro na mídia e até hoje são noticia em todos os sites, jornais, revistas…

Caso Suzane Richtofen

A menina criada a pão de ló pelos pais é a mentora de um dos crimes mais bárbaros que o Brasil teve notícia. Acostumada ao dinheiro fácil, ela era cercada de todo luxo possível. Mas isso não bastou para a assassina. Ela arquitetou um plano, envolvendo seu namorado e o cunhado (irmãos Cravinho), que simplesmente estouraram a cabeça dos pais da meliante. Ela apareceu chorando no enterro dos pais. Lágrimas de crocodilo. Ninguém ali presente poderia imaginar que a assassina estaria entre eles.

Ela foi presa. Ok. Mas quem acha que ela levaria uma vida difícil na cadeia, caiu do cavalo. Muito pelo contrário, ela entrou no presidio de Tremembé como uma pop star. Tinha, acreditem, até fã clube. Definitivamente o Brasil não é para amadores.

Mesmo condenado a 39 anos de reclusão, a mocinha não levou 1/3 desse tempo para conseguir a benesse do regime semiaberto. Além disso, por intermédio de autorização do governo petista, ela teve e tem direito a famosa “saidinha”. Tem direito a sair em datas comemorativas, inclusive o dia dos pais e das mães. Apenas um detalhe para quem não prestou atenção até agora. Ela arquitetou a morte dos dois. Tente entender isso, pois eu até hoje não consegui…

Quase ia esquecendo… a assassina está a um milímetro de conseguir a liberdade condicional. É isso mesmo. Ela será solta muito em breve. E os pais dela? Presos até a eternidade.

Caso Isabella Nardoni

Esse caso chamou a atenção da mídia internacional.

Não é para menos. Afinal, estamos falando da morte de uma garota inocente, de apenas 5 (!) anos de idade. Praticamente um bebê.

O assassinato aconteceu na noite do dia 29/03/2008. Atentem para o fato de que a menina hoje poderia estar com 16 anos. Uma adolescente…

Continuando…

Nesse dia, ao chegarem em casa, depois de ter sido agredida no carro onde estavam seu pai Alexandre Nardoni e sua madrasta Anna Carolina Jatobá, a menina foi levada para o quarto como um “castigo”. Nesse interim, seu pai (isso não é pai, mas preciso usar esse nome) simplesmente voltou a agredir a menina com a ajuda de sua companheira já citada. Não contentes, cortaram a tela de proteção da janela do apartamento e simplesmente JOGARAM a menina pela janela, como se fosse um saco de lixo cheio.

Entenderam a gravidade? Querem que eu repita? O próprio pai jogou a própria filha pela janela de um apartamento do 6º andar do prédio onde moravam.

Evidente que a morte foi instantânea.

No meu entender, essas criaturas deveriam ir para cadeira elétrica, sem chance de defesa.

Mas não, estamos no Brasil e os dois foram apenas presos. Foram condenados. A pena teria sido de quase 40 anos para os dois. Mas como estamos no Brasil, com 1/3 da pena o detento já tem direito a semiaberto. Usando desse subterfugio, hoje tanto Alexandre quanto Anna Jatobá podem usufruir da famigerada saidinha, já citada no outro caso acima.

Hoje os dois levam uma vida espetacular. Comem 5 vezes ao dia, bebem, arrotam, cagam e peidam, tudo as custas do Estado, tudo as custas dos pagadores de impostos. Inclusive a mãe verdadeira da menina ajuda a custear a vida boa desses assassinos.

No frigir dos ovos, eles gozam de plena liberdade, onde podem sair no dia de feriado, inclusive no dia das crianças, dos pais, das mães e por aí vai. E a menina? Infelizmente ela nunca vai poder sair para lugar nenhum…

Update: o promotor Marcelo Negrini ordenou que Alexandre Nardoni perca o direito a saídas temporárias e deverá voltar ao regime fechado.

Caso Elize Matsunaga/Marcos Kitano

Um caso mais “recente”.

Em 2012, a dona de casa Elize Araújo Kitano Matsunaga matou e esquartejou o então presidente da Yoki, uma conhecida fábrica de alimentos do Brasil, o senhor Marcos Kitano Matsunaga.

Presa e condenada em 20016 primeiramente a 33 anos de reclusão, sua pena diminuiu num primeiro momento a 19 anos e 11 meses, passando para 18 anos e 9 meses, fechando em 16 anos e 3 meses.

Pra vocês entenderem, a pena inicial foi diminuída porque tiraram o atenuante de violência doméstica, num pedido desesperado da defesa, ajudando e muito a assassina.

Mas (tô ficando chato) como estamos no Brasil, eis que a moçoila já conseguiu o direito ao semiaberto. Justiça maravilhosa, não é mesmo?

Com a benesse do semiaberto, ela teria/tem direito as famosas saidinhas.

Porém estranhamente ela abriu mão desse direito. Ela mesmo pediu ao advogado que não quer usar esse atenuante em sua defesa. Sendo assim, ela não saiu no último dia dos pais. Segundo o advogado que a representa, o doutor Luciano Santoro, ele não pode prever se sua cliente usará o direito nas próximas datas, tais como dia dos finados e Natal/Ano Novo.

Realmente eu fiquei surpreso com essa atitude de uma assassina. Quero crer que teve essa atitude por um simples motivo: ela ficou com medo da reação da sociedade.

Antes de terminar o artigo, vou deixar algo claro que muita gente não sabe ou nunca se importou em saber: a saída temporária de presos está prevista na lei de Execução Penal, datada de 1984. Ou seja, já são 35 anos, entre presidente e sai presidente e essa lei ainda não foi derrubada.

E lembrar também que citei apenas esses 3 casos que ficaram muito famosos. Mas existem vários e vários presos que tem a bondade da justiça para sair em determinadas datas. Muitos não voltam. Muitos cometem crimes nesse intervalo de tempo.

A conclusão é a seguinte: detento (a) não pode ter direitos, apenas e tão somente deveres.

Quem discorda disso? Detentos (as) e parentes dos mesmos, é claro.

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2019