Esquerda assassina – o caso Adélio Bispo (e outros casos) | Politicos Do Brazil
Esquerda assassina – o caso Adélio Bispo (e outros casos)
Por admin
11/01/2020

Em 2018 (mais precisamente no dia 6 de setembro), o então candidato à Presidência da República (e atual presidente) Jair Bolsonaro sofreu uma tentativa de assassinato durante a campanha eleitoral em Juiz de Fora (interior de Minas Gerais). Embora a polícia tenha conseguido prender Adélio Bispo de Oliveira (o autor do atentado, que, coincidência ou não, é um ex-militante do PSOL, um partido de esquerda), a verdade é que este caso, até hoje, ainda está sem solução. E a pergunta que não quer calar é exatamente esta: por quê?

Apesar da polícia ter capturado o criminoso, e este, ao prestar depoimento, insistir na versão de que agiu por conta própria (isto é, sozinho), há suspeitas de que o crime foi premeditado (e que, portanto, houve um mandante). Afinal, há muitas evidências que apontam nesta direção. Além disso, há também algumas perguntas (que, até agora, ainda estão sem resposta) que nos levam a crer que esta hipótese (de crime premeditado) parece ser a mais provável. Senão, vejamos:

  • Como Adélio sabia exatamente em que rua de Juiz de Fora ele deveria passar para ficar perto de Bolsonaro? Quem lhe passou esta informação?
  • Como o mesmo indivíduo conseguiu se hospedar numa das pensões mais caras da cidade, pagando, em dinheiro vivo (e adiantado), 15 dias de hospedagem?
  • Em depoimento à polícia, Adélio disse, num primeiro momento, que estava desempregado (mas que costumava trabalhar, esporadicamente, como servente de pedreiro). Como alguém, nesta mesma situação, conseguiria obter uma renda que fosse o suficiente para adquirir 4 celulares de última geração e um notebook novo?
  • Logo após o crime, Adélio foi imediatamente defendido, gratuitamente, por 4 advogados particulares de um grande escritório de advocacia. Por que estes mesmos advogados fizeram questão de se prontificar em ajudar Adélio sem nenhum custo? Não seria mais coerente ele, que estava desempregado, ser assistido por um defensor público?
  • Como ele conseguiu, sem dinheiro, viajar para outros Estados? Como se explica o fato dele ter ido, em Santa Catarina, à mesma escola de tiro frequentada pelos filhos de Bolsonaro?
  • Já que Adélio tinha vários celulares à sua disposição, com quem ele falava freqüentemente?
  • Por que (e como) a dona da pensão onde Adélio esteve hospedado morreu pouco tempo depois do atentado contra Bolsonaro (e isso justamente após ela ter prestado depoimento à polícia)? Não seria o caso de uma possível queima de arquivo?

É óbvio que existem muitas outras perguntas, mas poderíamos dizer que estas são as principais. Com o tempo, muitas outras dúvidas certamente surgirão (o que fará aumentar ainda mais o mistério em torno deste caso).

Mas existe também um outro ponto polêmico que chamou muito a atenção: por que a equipe médica do HSL (Hospital Sírio Libanês), logo após o atentado contra Bolsonaro, foi imediatamente para Juiz de Fora sem ser solicitada (isto é, sem que ninguém pedisse)?

Existe uma explicação para isso (e que pode ser vista por muitos como uma possível “teoria da conspiração”): a mesma equipe fazia parte dos chamados “Médicos do Presidente”. Apesar disso, os filhos de Bolsonaro recusaram a ajuda oferecida pelo HSL. Preferiram, mesmo sendo mais dispendioso, levá-lo para o HAE (Hospital Albert Einstein). Por que fizeram isso? Há uma razão lógica: estando no HSL, Bolsonaro poderia “sofrer alguma complicação” resultante de uma ou mais cirurgias e, conseqüentemente, ir a óbito no mesmo hospital. Isso por 2 possíveis motivos:

  • O mesmo hospital, por ser da Síria, tem uma revanche histórica com Israel. Além disso, Bolsonaro, durante a campanha eleitoral, tinha dito que, caso chegasse à Presidência da República, levaria a embaixada brasileira para Jerusalém. É evidente que, diante de tais promessas, nenhum médico do HSL jamais iria simpatizar com as idéias de Bolsonaro!
  • A mesma equipe médica do HSL já tinha atendido vários presidentes de esquerda (FHC, Lula, e Dilma). Logo, não seria nenhuma surpresa se algum médico esquerdista “terminasse o serviço” que Adélio tinha começado. Considerando o grande número de inimigos que Bolsonaro tinha feito ao longo de sua trajetória na política, esta hipótese não poderia ser descartada (como diria Sherlock Holmes, “elementar, meu caro Watson!”)!

Diante desse perigo, os filhos de Bolsonaro (que não são idiotas) chamaram a equipe do HAE (mesmo sabendo que não precisava). Nem foi necessária esta ajuda, já que Bolsonaro foi muito bem atendido na Santa Casa de Juiz de Fora (uma unidade de saúde muito conceituada na cidade).

Este caso foi somente um exemplo para mostrar a todos o quanto a esquerda não tem nenhum escrúpulo: ela não hesita em eliminar impiedosamente qualquer um que seja uma ameaça ao seu plano de poder totalitário e permanente. E para quem ainda tem mais alguma dúvida de que o principal partido da esquerda (PT) é o cabeça de uma organização criminosa que aparelhou o Estado brasileiro, vamos relembrar mais alguns casos não esclarecidos até hoje. Depois disso, veremos se são apenas uma mera “teoria da conspiração”.

Eis os casos (coincidência ou não, são 13 casos):

1 – Empresário que comprou avião de Eduardo Campos é encontrado morto;

https://www.google.com.br/amp/g1.globo.com/pernambuco/noticia/2016/06/empresario-foragido-da-operacao-turbulencia-e-encontrado-morto.amp

 

2 – Arthur Sendas (do Conselho de Administração da Petrobrás) morre assassinado;

http://m.extra.globo.com/noticias/rio/empresario-arthur-sendas-morre-apos-levar-tiro-dentro-de-apartamento-594902.html

 

http://ataqueaberto.blogspot.com.br/2016/03/o-segundo-membro-do-conselho-de.html?m=1

 

3 – Roger Agnelli (CEO da mineradora Vale) morre em queda de avião, após escrever carta com denúncia sobre corrupção na Vale endereçada à então presidente Dilma Rousseff (governo tentava substituí-lo desde 2011). Curiosamente, a caixa preta do mesmo avião com dados do vôo não é encontrada;

https://pensabrasil.com/mais-uma-bomba-antes-de-morrer-em-queda-de-aviao-inexplicavel-ex-presidente-da-vale-mandou-carta-a-dilma-veja-aqui/

4 – Eduardo Campos morre em queda de avião. Caixa preta não é encontrada

http://veja.abril.com.br/brasil/caixa-preta-nao-gravou-audio-do-voo-de-campos-diz-fab/

 

5 – Executivos da Seguradora Bradesco (uma dos principais acionistas da Vale) morrem em queda de avião. Caixa preta é encontrada danificada e ilegível;

https://www.google.com.br/amp/m.folha.uol.com.br/amp/mercado/2015/11/1704819-presidente-da-bradesco-seguros-morre-em-queda-de-jatinho-em-mg.shtml

 

6 – Ex-diretor da ANP (Agência Nacional de Petróleo) morre ao cair do 11º andar de um edifício;

http://economia.ig.com.br/empresas/2015-11-09/ex-diretor-da-anp-morre-apos-queda-do-proprio-apartamento.html

 

7 – Toninho do PT (prefeito de Campinas) é assassinado a tiros;

https://www.google.com.br/amp/m.politica.estadao.com.br/noticias/geral,celso-daniel-e-toninho-os-pesadelos-do-pt,1084700.amp

 

8 – Celso Daniel é torturado e morto. Logo após a sua morte, 7 testemunhas do caso são mortas antes de prestar depoimento;

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/os-oito-cadaveres-do-caso-celso-daniel-e-o-papel-de-cada-um/

 

9 – O ministro Teori Zavascki (relator da Lava Jato no STF) morre em queda de avião às vésperas de homologar a delação de Odebrecht, em que ex-presidentes da República, o atual presidente do Senado, e o ex-Presidente da República, e muitos outros da classe política tiveram seus nomes envolvidos;

http://g1.globo.com/politica/noticia/relembre-as-principais-decisoes-de-teori-zavascki-na-operacao-lava-jato.ghtml

 

10 – Antes de alguns desses fatos, em 2014, Dilma Rousseff sanciona a Lei 12.970/14 (que decreta sigilo nas investigações de acidentes aéreos);

http://folhapolitica.jusbrasil.com.br/noticias/133456902/dilma-sancionou-lei-que-decreta-sigilo-de-investigacao-de-acidentes-aereos

 

11 – Petista que entregou esquema da Transpetro é executado. O empresário José Roberto Soares Vieira (que foi vice-prefeito de Ourolândia pelo PT) foi executado com 9 tiros na rodovia BA-522, na RMS (Região Metropolitana de Salvador). Vieira era a principal testemunha das investigações que levaram à prisão de José Antônio de Jesus (ex-gerente da Transpetro na Bahia). Ele prestou depoimento à PF entregando o esquema;

https://www.oantagonista.com/brasil/petista-que-entregou-esquema-na-transpetro-e-executado/

 

12 – O empresário Sérgio Gomes da Silva (mais conhecido como “Sombra”), um dos envolvidos na morte de Celso Daniel, morre num hospital de São Paulo. Apesar da alegação de que a causa oficial da morte foi câncer, há suspeitas de que ele possa ter sido envenenado;

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2016/09/sombra-do-caso-celso-daniel-morre-em-hospital-de-sp.html

 

13 – Morre, num suposto assalto, o ex-coronel Malhães. Ele revelou, na Comissão da Verdade, que Lula mandou matar 2 sindicalistas para conquistar o poder no sindicato. Sua morte aconteceu 1 mês depois de falar deste caso (antes, ele revelou que tinha medo de ser assassinado por suas revelações).

https://m.folha.uol.com.br/poder/2014/04/1445454-coronel-paulo-malhaes-que-assumiu-torturas-e-encontrado-morto-no-rio.shtml

 

Diante de todos estes casos, podemos dizer que não existe, na nossa história, nenhum partido que tenha algo pelo menos parecido com a seqüência macabra listada acima.

Também não existe nenhum partido que tenha um histórico de políticos e militantes tão violentos quanto do PT, ao ponto de ameaçarem publicamente várias autoridades (entre elas Joaquim Barbosa e Sérgio Moro) com um “tiro na testa”. Também não existe na nossa história nenhum partido tão empenhado em denegrir seus adversários, chegando ao ponto de ter desmascaradas várias tentativas de dossiês falsos que estavam sendo divulgados ao público.

Existem também outros casos nebulosos que envolvem violência que não estão listados acima, mas que, de alguma forma, remetem ao PT. Um exemplo foi o sequestro, em 1989, do empresário Abílio Diniz (na época, dono do grupo Pão de Açúcar) por guerrilheiros uruguaios empenhados na campanha de Lula para presidente. E também tem as relações do PT com grupos narco-guerrilheiros (como as FARCs, da Colômbia), ou, ainda, de várias ditaduras que ajudou a financiar na América Latina e na África.

Pode parecer difícil de acreditar para a maioria das pessoas, mas o passado de muitos dos guerrilheiros, que hoje formam a elite da esquerda brasileira, já pegou em armas, já matou, já roubou, e já sequestrou pelo ideal que julgavam ser o melhor do Brasil (inclusive Dilma). Muita gente acha que tal espírito revolucionário é coisa do passado. Mas a julgar pela coletânea de casos estranhos ocorridos nos últimos anos (e a recente guinada do PT retomando a radicalização dos anos 80 e 90), dá para repensar tal posição.

Também não foi à toa que a ex-senadora petista Heloísa Helena falou, mais de uma vez, que Lula é um gângster, capaz de qualquer coisa pelo poder (inclusive matar). Aliás, não só ela, mas vários ex-amigos de Lula (co-fundadores do PT) o descrevem como um ser amoral.

São fatos como estes que nos fazem refletir sobre algumas frases bem simbólicas ditas por 2 ex-presidentes petistas que governaram o Brasil:

 

“Podemos fazer o diabo pra ganhar a eleição!” (Dilma, em campanha eleitoral)

“Vamos fazer o diabo, mas não vamos perder a eleição!” (Lula, em campanha eleitoral)

“Eles não sabem do que somos capazes!” (Lula, em discurso com o MST)

 

Conclusão: o PT é um partido demoníaco, corrupto, e imoral! É o líder de uma esquerda perversa e assassina! Em termos de maldade, só perde para a máfia italiana!

Que todos nós, a partir de agora, possamos dizer com todas as letras (e em alto e bom som pra quem quiser ouvir): PT E ESQUERDA NUNCA MAIS!*

Repasse esta mensagem para o maior número possível de pessoas (para que seja divulgada em todo o país)!

Obs: Esse artigo foi enviado por Pedro Junior. Se você quiser enviar artigos para o blog, clique na aba “Colaboradores (as)”.

 

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2020