A eterna hipocrisia de Lula, ao ser denunciado na Operação Lava Jato! | Politicos Do Brazil
A eterna hipocrisia de Lula, ao ser denunciado na Operação Lava Jato!
Por admin
17/09/2016

Essa semana que se iniciou dia 12/09 foi uma semana para ser lembrada e marcada em todos os livros de história, sociologia e porque não dizer livros de política em nosso país.

Afinal de contas, é a semana que marca a denúncia do fuhrer petista, do comandante do PT, daquele partido que, segundo ele, é o maior representante da esquerda na América Latina (esqueceu até do partido de Fidel Castro, que governa Cuba desde 1959), do senhor Luis Inácio Lula da Silva.

Sim, isso mesmo que vocês leram. A Operação Lava Jato finalmente chegou ao eterno “Lulinha paz e amor”. Ao homem que se auto denominava “o pai dos pobres”. Aquele que se julgava acima do bem e do mal.

A semana, como não poderia deixar de ser, foi muito tensa. Ainda resquicios dos “movimentos sociais” que barbarizaram a cidade de SP com sua costumeira violência e deixando os habitantes da megalópole atônitos com tamanha selvageria.

Mas a Lava Jato não podia e não pode parar, apesar dos esforços da midia e de alguns artistas de tentarem derrubar a Operação, ela seguiu no ritmo forte de sempre e culminou com a denúncia formal contra o ex presidente.

Os representantes do MPF, capitaneados pelo procurador Deltan Dallagnol, convocaram uma entrevista coletiva onde expuseram os fatos do porque fizeram a denuncia contra o ex presidente. Além dele, também foram denunciados sua mulher Marisa Leticia, o presidente do Instituto Lula Paulo Okamoto, o empresário Léo Pinheiro da construtora OAS, além de dois funcionários da construtora e outros dois investigados.

O que pesa contra Lula é a denuncia de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ou seja, são denuncias pesadas!

Segundo a procuradoria, Lula se beneficiou de três contratos da empreiteira OAS firmados com a Petrobrás, além de lavagem de “parte milionária” de dinheiro referente a reforma do triplex no Guarujá (que ele batia o pé, dizendo que não era dele) e pagamento para armazenagem de bens pessoais (os bens que ele pegou do Estado quando deixou a presidencia) mediante contrato falso.

Ainda segundo os procuradores, Lula é o “comandante máximo” do esquema da Lava Jato.

Ufa! Quanta coisa hein???

Cabe uma pergunta: se fosse um cidadão “comum”, será que ele ainda estaria solto???

Provavelmente não…

Abaixo temos a coletiva do procurador Deltan falando sobre a denuncia pra cima do ex presidente. Inclusive prestem atenção porque a midia esquerdista insiste em dizer que ele soltou a frase “não temos provas, mas temos convicção”. Em momento algum ele diz isso, muito pelo contrário. Vejam e tirem suas próprias conclusões:

Pois é senhoras e senhores. Mas mesmo com a enxurrada de provas irrefutáveis pra cima do ex presidente e sua mulher, o sr Lula da Silva convocou uma coletiva para tentar “se defender”.

Usando eufemismos sem o menor cabimento e fazendo comparações descabidas, inclusive numa delas se comparando a Jesus Cristo, o cidadão usou e abusou do seu ranço pra cima da Lava Jato, chegando ao ponto de fazer ameaças aos procuradores. Um show de horrores que, fosse num país civilizado e democrático, seria o estopim para uma prisão perpétua, no minimo.

Não, não estamos exagerando!

Quem viu esse depoimento do ex presidente, garante que ele estava movido pelo ódio mortal. Mesmo que em alguns momentos ele apelou para o drama e fez menção de chorar, as caras e bocas mostram uma fera enjaulada pronta para sair e matar!!!

O vídeo está logo abaixo. Vejam com seus próprios olhos e ouçam com seus próprios ouvidos:

Depois de ver e ouvir o video, cada um que tire suas próprias conclusões.

Agora o próximo passo é o juiz Sergio Moro acatar a denuncia e provavelmente colocar Lula atrás das grades.

Essa decisão tem tudo para acontecer na segunda feira, dia 19/09. Mais um dia pra ficar na história.

Em breve, mais um artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2020