A Organização Mundial de Saúde é assassina? | Politicos Do Brazil
A Organização Mundial de Saúde é assassina?
Por admin
14/06/2020

Eu não queria fazer mais um artigo sobre o COVID19 e tudo que ronda essa doença maligna, advindo do governo chinês. Sinceramente esse assunto me desgasta.

Mas porém, contudo, todavia não tem como fugir do assunto. Pelo menos, por enquanto.

Só que desta feita o mote principal do artigo não é o vírus em si, mas a organização que “comanda” todo o sistema de saúde mundial. Na verdade, ela não comanda o sistema, mas funciona como uma OAB da vida. Quando um advogado menciona um órgão que o “represente”, menciona de bate pronto a OAB. No mundo da medicina, acontece exatamente a mesma coisa com a OMS. A famosa Organização Mundial de Saúde.

A OMS sempre deu seus pitacos em torno das doenças que assolam a humanidade.

Em algumas situações, ela pressiona comunidades medicas ao redor do mundo, em detrimento do seu modo de pensar em relação a alguma doença, epidemia ou pandemia, como o que vem ocorrendo com o mundo, nos dias atuais.

Muitas (põe muitas nisso) ela erra de um modo cavalar.

A maneira como ela tratou o COVID19 nos dá uma ideia da veia comunista que ronda essa Organização. Basta dizer que ela tem, entre seus membros de alto escalão, representantes chinês, justamente o local de onde saiu o dito vírus mortal.

Já sabendo da gravidade da doença, ela não se pronunciou sobre a maneira irresponsável como o governo chinês tratou o vírus. Chegou a dizer, pasmem, que o dito vírus não era tão letal e que não havia motivo para pânico. Como dizia o Faustão: ERRRRRRROOOUUU!!!!

Hoje sabemos que a doença se alastrou pelo mundo, não o mundo todo, mas uma grande parte do globo terrestre. Um erro gravíssimo, que custou a vida de muita gente.

Mas a OMS sempre pode estragar mais ainda a cagada que fez.

No decorrer dos dias, foi-se aventado a possibilidade de usar a cloroquina, um medicamente já presente na vida de muita gente a muito tempo, como uma medida eficaz para brecar o avanço da doença. O medicamento seria usado na fase inicial e assim, sem avançar, a doença “morreria” e o paciente nem chegaria a se internar, não sendo portanto ocupar leitos e assim deixar os mesmos para quem chegou ao estágio avançado.

Pois, numa atitude deplorável e totalmente monocrática, a entidade simplesmente ignorou o medicamento e mais ainda, chegou ao cumulo de dizer que usá-lo poderia trazer consequências graves para o corpo, como arritmia cardíaca ou, em casos mais graves, uma parada cardíaca, sem possibilidade de reabilitação.

Muitos médicos ao redor do mundo condenaram a atitude da OMS, chegando a dizer que seria uma irresponsabilidade muito grande afirmar tais falas sobre o medicamento. E quando menciono vários médicos ao redor do mundo, estou enfatizando isso.

O protocolo da cloroquina foi criticada ferozmente pela entidade.

Mas como sabemos, sim sabemos, muita gente foi curada graças ao medicamento. E o muito é muito mesmo. Muita gente. Pelo Brasil e pelo mundo. Suécia é um dos maiores exemplos.

Pensam que acabaram as sandices da OMS? Nada disso!

Numa coletiva comandada por Maria van Kerkhove, figura de alta relevância dentro da OMS, ela disse com todas as letras que pessoas assintomáticas RARAMENTE poderiam passar o vírus para outras pessoas.

Entenderam bem? Ela disse que RARAMENTE, ou seja, a chance é praticamente nula.

Mas onde tá o erro, diriam vocês…

O erro está em outra matéria da própria OMS, onde eles diziam exatamente o contrário.

A pergunta que fica é: por que mudaram DRASTICAMENTE de opinião?

E tem mais, a organização também disse que os testes com a cloroquina não estavam totalmente equivocados e que eles poderiam continuar acontecendo, chegando ao cumulo de pedir DESCULPAS ao mundo, quando teriam dito o contrário sobre o medicamento.

Possivelmente quem está lendo esse artigo deve ter algum parente que foi infectado e, infelizmente, pode ter alguém que perdeu alguma pessoa do seu círculo pessoal. Será que um pedido de desculpas da OMS vai confortar o coração dessas pessoas? Fica a pergunta…

Esse artigo pontuou apenas alguns erros da OMS. Se for pesquisar a fundo, possivelmente outros erros serão encontrados.

Será que podemos afirmar que uma organização que a priori deveria prezar pela vida humana, se transformou ao longo das décadas em algo totalmente avesso a vida humana? Claro, preciso deixar claro que muito dinheiro está envolvido na fabricação de remédios. Temos muitas empresas que ganham bilhões de dólares com isso. É chocante dizer isso, mas pra muitas dessas empresas, a vida humana é apenas um detalhe. E parece que para a OMS também…

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2020