Sai Toffoli e entra Luiz Fux | Politicos Do Brazil
Sai Toffoli e entra Luiz Fux
Por admin
11/09/2020

Antes de começar a escrever o motivo desse artigo, quero fazer uma reverencia a data de hoje.  Nessa data, há 19 anos, aconteceu o maior ataque terrorista da história, que feriu os americanos.

Tudo foi arquitetado pelo demônio Osama Bin Laden, que já está no colo do capeta, ao lado de Che Guevara, Mao Tse Tung, Fidel Castro, Pol Pot e outros homicidas que estragaram a raça humana. Felizmente esses seres abjetos não correspondem a imensa maioria dos seres humanos que são exatamente o contrário dessas pestes.

Felizmente a América se reergueu e continua sendo a maior nação do mundo. E continuará assim, sob o pulso firme de Donald Trump, indicado duas vezes ao Premo Nobel da Paz.

Dito isso e prestando as homenagens a centenas de vitimas desse fatídico dia, esperando que isso nunca mais se repita, vamos o mote do artigo. Segue…

O STF, mais conhecido como Supremo Tribunal do Fascismo ou puxadinho do PT, agora tem um novo presidente. Isso tem algo de bom? Continuem lendo e tirem suas próprias conclusões.

A instituição criada para ser a justiça “suprema” do país e com a intenção de prender necessariamente pessoas que cometem crimes, em especial crimes contra a nação, com o advindo do PT, acabou virando uma ala ideologicamente ligada a esquerda e, por conseguinte, fazendo todas (ou quase todas) as vontades do ex presidiário e seus macacos vermelhos.

Já falei bastante sobre o STF, caso queiram ler os outros artigos basta digitar “STF” no campo de buscas.

O ex-advogado (ou ainda é?) do PT, da CUT e ferrenho apoiador do senhor Luís Inácio, que atende pelo codinome de Dias Toffoli, deixou a presidência da instituição e passou o bastão para o menos beócio Luiz Fux, mais conhecido como Peruca.

Mas quem é Luiz Fux?

Segue abaixo a capivara da criatura. Acreditem, não queria causar constrangimento, mas faz-se necessário.

Luiz Fux nasceu no RJ aos 26 de abril de 1953. É um jurista, professor universitário e magistrado brasileiro. Foi ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) de 2014 a 2018, tendo sido presidente da corte eleitoral entre fevereiro e agosto de 2018. Exerceu também a função de ministro do Supremo Tribunal de Justiça de 2001 a 2011. Bacharel de direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Estado do RJ (1976), é doutor (2009) pela mesma universidade. Desde 1995 é professor titular de direito processual civil da Universidade do Estado do RJ, tendo chefiado o Departamento de Direito Processual desta universidade, além de ter lecionado processo civil na Escola de Magistratura do Estado do RJ e direito judiciário civil na PUC/RJ.

Como se vê esse senhor tem um currículo muito extenso, que certamente lhe daria todas as credencias para fazer um excelente trabalho frente ao STF e mais ainda, como presidente da instituição.

Porém, e sempre tem um porém, esse senhor foi alçado ao STF não por sua capacidade e sim por sua ligação com o PT e mais ainda com Luís Inácio e Dilma Rousseff. Só por esse motivo, evidentemente que ele já é um empecilho para levar seriedade à corte suprema.

Talvez você esteja se perguntando o porque estou criticando Luiz Fux. Bom, já dei um spoiler ao dizer que ele foi indicado por Dilma Roussef e convenhamos, esse já seria um motivo esplendoroso.

Mas vou dissecar algumas polemicas envolvendo o senhor Fux e ai vocês podem dizer se eu estou certo ou se estou extremamente certo.

Ele votou a favor de:

– Homofobia ser considerada racismo (decisão extremamente ignorante, visto que opção sexual de uma pessoa não é cor de pele)

– Registro civil para transexuais

– União estável entre homossexuais (isso já existe a várias décadas);

– Ideologia de gênero e educação sexual (não preciso dizer que isso é agenda de esquerda)

– Autonomia para governadores e prefeitos sobre a COVID-19 (e ainda querem culpar o presidente)

– Desarmamento

Ele votou contra:

– Homeschooling

– Trabalho insalubre para gestantes e lactantes

– Caixa 2 deixar a justiça federal e passar para a justiça eleitoral (em outras palavras, ele quer que um político corrupto seja investigado pela justiça eleitoral, limpando a “barra” dele na justiça criminal)

Além disso, tem decisões polêmicas, como conceder liminar em 2014 autorizando pagamento de auxilio moradia para integrantes do judiciário, ministério publica, defensoria publica e tribunais de justiça. O beneficio de 4.377,73 foi concedida ate mesmo aos magistrados que possuíssem  moradia própria ou quem atuava em suas cidades de origem. Em sua decisão, ele disse que não é crível, em um estado de direito, em que se propugnam como uns de seus vetores axiológicos o principiam da isonomia, uma grande parcela de caráter indenizatório prevista em lei a favor dos autores, e que já é paga regularmente à ocupantes do mesmo cargo de juiz federal, não seja estendida aos demandantes. Parece brincadeira, mas não é.

Luiz Fux pretende aproximar o STF da sociedade e garante que o tribunal vai trabalhar em prol da democracia e no combate a corrupção. Sim, é isso mesmo que ele disse que fará. Porém, o senhor Dias Toffoli disse a mesma coisa e fez totalmente o contrário. Podemos esperar o mesmo de Fux? Eu creio que sim.

Ainda segundo Fux, ele espera ter uma postura mais institucional com o presidente Bolsonaro, em poucas palavras, ele disse que seguirá a Constituição de 1988, algo que seus pares aparentemente não tem feito, desde a vitória do presidente em 2018, não é mesmo?

Eu sinceramente não acredito nisso. Espero realmente estar redondamente enganado.

Disponibilizo logo abaixo um vídeo do canal Brasil Paralelo onde falam da vida do senhor Luiz Fux, elencando toda sua atividade profissional, desde o começo como advogado até chegar ao cargo de ministro do STF. Eu não vou adiantar, mas podem esperar um vídeo altamente didático. A verdade nua e crua. Sem reticências…

A grande verdade é que a saída de Dias Toffoli e a entrada de Luiz Fux na presidência do STF não mudará nada. A corte continuará sendo um puxadinho da esquerda, com decisões monocráticas, sendo alvo de criticas de milhares de brasileiros daqui e do exterior e um órgão com baixíssima aprovação em todas as pesquisas feitas.

Antes de terminar o artigo, preciso dizer algo a vocês. Na posse do senhor Luiz Fux, durante o discurso de Dias Toffoli, adivinhem quem aparece de surpresa? Ele mesmo, o nosso presidente Jair Bolsonaro.

Dias Toffoli, com sua hipocrisia conhecida, fez reverencia ao presidente e até, quem diria, elogios. Mas o melhor ainda estava por vir. Depois do ministro Marco Aurélio Mello dizer que o presidente foi eleito com mais de 57 milhões de votos e é o MANDATÁRIO MAIOR do país, o presidente soltou a seguinte frase: “Eu cheguei aqui pelo voto dos eleitores e vocês por indicação de ex-presidentes”. Nossa! Tapa com luva de pelica, principalmente pra cima de Alexandre “cabeça de ovo” de Moraes e Barroso, o mesmo que chamou o presidente de ditador alguns dias atrás.

O presidente ainda foi bonzinho. Ele poderia ter interpelado Barroso quanto à sua fala. Ia ser uma delicia ver a cara de merda do Barroso ao tentar explicar o inexplicável.

Em breve, um próximo artigo. Até lá!

Um blog que fala de política, que não tem rabo preso com partido algum e apenas transmite as noticias cotidianas da política nacional e internacional.
Todos os direitos reservados - 2014 - 2020